Sexto relatório De Olho nas Metas, do Todos Pela Educação, é lançado com cinco artigos de estudos inéditos

11667388_1126139284069011_9147698153190554704_nFormação dos docentes, ampliação do ensino fundamental, financiamento da educação, currículo da área de educação e o monitoramento das cinco metas foram discutidos no relatório De Olho nas Metas 2013-14, realizado pelo Todos pela Educação (TPE), lançado no dia 2 de julho, em São Paulo.

O levantamento traz dados relacionados com os avanços e os desafios das cinco metas propostas pelo movimento: 1) Toda criança e jovem de quatro a sete anos na escola, 2) Toda criança plenamente alfabetizada até os oito anos, 3) Todo aluno com aprendizado adequado ao seu ano, 4) Todo jovem de 19 anos com ensino médio concluído, e 5) Investimento em educação ampliado e bem gerido.

“Na educação infantil, o desafio de acesso é de incluir 700 mil, sendo que 500 mil crianças estão fora da escola. Isso mostra a necessidade de ações específicas, uma integração de pastas. Ainda há aqueles jovens que não estão nem na escola, nem na faculdade. Atualmente estamos passando por vários desafios, como por exemplo o jovem não ver sentido no ensino médio”, afirma Alejandra Meraz Velasco, coordenadora geral do Todos pela Educação.

Sobre o primeiro item, é importante ressaltar que o Brasil registrou na população de quatro a 17 anos na educação básica estar abaixo da meta intermediária proposta pelo TPE, que era de 95,4%. O indicador aponta que precisam ser incluídas no sistema educacional 2.863.850 crianças nessa idade.

Já na meta 3 vieram dados alarmantes, já que em 2013 apenas 9,3% dos alunos do 3º ano do ensino médio aprenderam o considerado adequado pelo movimento em matemática e 27,2% em português, valores considerados baixos das metas intermediários definidos pelo movimento para o ano, respectivamente, que eram: de 28,3% e 39%. Já no nono ano do ensino fundamental, o percentual de alunos com aprendizado adequado em 2013 foi de 16,4% em matemática e de 28,7% em língua portuguesa e as metas intermediárias para essa etapa eram de, respectivamente, de 37,1% e 42,9%. Para essas observações, são avaliadas as pesquisas Prova Brasil e do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Na quinta meta, foi levantando que o investimento público direto em educação foi de 5,6% do Produto Interno Bruto e os dados de investimento específico em educação básica hoje em 4,7% mostram uma tendência de crescimento, já que antes era de 3,2%.

Haroldo Torres, economista, mestre em demografia e doutor em ciências sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), apresentou os resultados da pesquisa Projeto de Vida – O papel da escola na vida dos jovens, realizado pela Fundação Lemann com apoio técnico do TPE. A grande questão foi saber se o que é ensinado nas escolas prepara os alunos para concretizarem seus projetos na vida adulta. A conclusão foi que há sim uma grande desconexão entre os conhecimentos e as habilidades exigidos na vida adulta e o que é ensinado na escola.

Foram consultados jovens, empregadores, representantes de organizações da sociedade civil, especialistas em educação e professores universitários. Em 2013, apenas 54,3% dos jovens tinham concluído o ensino médio até os 19 anos, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Já todos os entrevistados fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e tiveram desempenho superior à média da escola pública.

Os principais itens observados na pesquisa: os jovens não conseguem interpretar o que leem, sentem dificuldades para escrever textos simples no dia a dia, como e-mails e não sabem expressar ideias e argumentos oralmente. Em relação ao raciocínio lógico e resolução de problemas, foi observado que os jovens têm dificuldades de conectar e encadear diferentes ideias, não dominam conteúdos e conceitos básicos de matemática (aritmética e representação gráfica) e não conseguem lidar com questões financeiras na vida pessoal e/ou no trabalho.

O especialista comentou que o professor é uma atividade profissional que precisa fortalecer suas disciplinas, sua metodologia aplicada no dia a dia. Ainda defendeu que o docente necessita se aperfeiçoar e ampliar no processo metodológico. “Ele não precisa só passar conteúdos na sala de aula, mas como trabalhar com o coletivo a formação de competências e acionar as redes de ensino”, atentou. O especialista ainda pontuou que é importante ter uma articulação entre escolas, redes de ensino e professores.

Já Alessandra Gotti, professora e doutora das disciplinas de Direito Constitucional, Propriedade Intelectual, Direitos Humanos e Tutela da Infância e Juventude, comentou sobre o corte etário, considerado um critério administrativo estabelecido pelas resoluções nº 1 e 6 da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. A ideia com esse critério técnico operacional é equalizar o sistema de ensino nas 27 unidades do país.

Já Úrsula Dias Peres, doutora em economia da FGV/SP, professor e pesquisa do Programa de Graduação e Mestrado em Gestão de Políticas Públicas da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, explicou seu estudo sobre eficiência do gasto em educação no Brasil. O objetivo foi analisar essa informação na esfera federal e municipal do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), mapeamento do processo para utilização dos recursos pelas escolas municipais, os empecilhos e a ineficiência na elaboração de propostas.

A pesquisadora comentou que as escolas trocam informações sobre esse recurso e há um distanciamento entre o plano pedagógico e o dinheiro do PDDE. “Há uma dificuldade inicial para usarem essa verba. Quanto mais alunos na escola, maior o valor do PDDE, já que em geral isso ocorre nas instituições de ensino em regiões mais vulneráveis”. Ela salientou que é o único recurso destinado para a gestão da escola.

Serviço:

Confira aqui relatório completo De Olho nas Metas 2013-14: http://goo.gl/Af5r8H

Estudo Projeto de Vida – O papel da escola na vida dos jovens: http://goo.gl/eNoIZz

Confira aqui notícia do Todos pela Educação sobre lançamento do relatório: http://goo.gl/WxSYAS