Representante da Aldeias Globais mostra como tornar projetos sociais atrativos para apoiadores

14711Promover direitos das crianças e adolescentes por meio do desenvolvimento social e comunitário: esse é o objetivo da ONG Aldeias Infantis SOS Brasil. Marcelo de Oliveira Paiva, gerente de relacionamento corporativo e mobilização de recursos na instituição, esteve no Festival ABCR para falar sobre Elaboração e implementação de Plano de Negócio Social: uma nova abordagem no desenvolvimento da estratégia de captação de recursos nas comunidades.

Na sexta-feira, 6 de maio, às 9h, sobre como criar propostas de valor por meio de diálogos assertivos, isto é, que detectem o que determinada pessoa ou grupo querem. “O que posso oferecer para certo segmento de clientes ou doadores? O que pessoas físicas e jurídicas vão valorizar? ”, questionou. Encontrar a resposta para essas perguntas pode ser determinante no momento de conseguir apoio para um projeto.

No entanto, ele lembra que não é possível solicitar algo se a instituição perder seu próprio negócio de vista. Além da compatibilidade, é preciso, também, conhecer a fundo suas próprias necessidades. “Se você não entender os custos que tem, como vai pedir algo? ”, perguntou Marcelo, lembrando que isso também exige organização por parte das ONGs.

Ele deu também um exemplo de como a falta de planejamento pode ser prejudicial: “Você ganha um edital nada a ver e depois não sabe como gastar aquele dinheiro”. Por isso, aconselhou a sempre colocar no papel quanto custa o que você precisa e quanto vai entrar de verba.

Em seguida, apresentou a estrutura empresarial com a qual o terceiro setor costuma se deparar. Geralmente são empresas com setores jurídico, de recursos humanos, de marketing e de responsabilidade social. De acordo com o gerente, o RH busca ações de voluntariado, o marketing é receptivo mas tem pouca verba e a área de responsabilidade social é uma caixinha de surpresas – nunca se sabe se será adequada ou se funciona apenas como assistencialismo.

Por conta disso, torna-se relevante conhecer exatamente o cliente antes de ter algum tipo de reunião. “Faça o seu planejamento estratégico”, aconselhou o especialista. Isso inclui saber quanto dinheiro sua organização precisa, ter entendimento do que você quer, definir prazos e elaborar um diagnóstico da região.

Para demonstrar a teoria em um caso real, Marcelo citou o trabalho da Aldeias Infantis no Rio de Janeiro, em especial o projeto que começou no Morro do Alemão depois que a UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) entrou na comunidade e expulsou os traficantes: suas companheiras – muitas vezes mais de uma para o mesmo homem – ficaram para trás. “Eram mulheres carentes que não tinham RG, CPF, conta bancária, nunca desciam à praia”, explicou, demonstrando o quanto elas viviam apartadas do restante da cidade.

Para ajudá-las, era necessário fazer um trabalho de desenvolvimento social. Foi aí que ele conseguiu pensar em um programa de empreendedorismo e educação financeira para ser conciliado com a necessidade de um banco de patrocinar um projeto de educação. Seu principal objetivo era fortalecer aquela comunidade e, por meio de um planejamento estratégico, agregou valor à sua ideia de tal maneira que ela se tornou útil para o financiador. “Criou-se um produto”, afirmou.

8º Festival ABCR

Entre os dias 4 e 6 de maio, ocorreu um evento voltado para captação de recursos a organizações da sociedade civil no no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo. Participaram deste encontro profissionais da área de captação e mobilização de recursos de organizações da sociedade civil; gestores de associações e fundações; acadêmicos, estudantes, pesquisadores e demais interessados em compreender a situação atual e as tendências desse segmento.


Serviço:

Acesse o site do evento: http://festivalabcr.org.br/

Confira cobertura completa:

Expertise da organização Atados é usada como case em palestra

Dicas de abordagem online para conseguir doadores, com Nick Allen

Representante da Aldeias Globais mostra como tornar projetos sociais atrativos para apoiadores

Casa de David é caso de sucesso apresentado no Festival ABCR

Mundano inspira os captadores de recursos e ressalta a criatividade em suas mobilizações

Captamos: rede social para troca de conhecimento e experiências na mobilização de recursos

Criptomoedas: uma opção para uma vida financeira mais saudável e para doação de recursos a organizações da sociedade civil

Especialistas da Change.org ensinam estratégias de mobilização on-line

Representantes de organizações explicam casos de inovação na estrutura das organizações para diversificar processo de captação de recursos

O ambiente digital e a captação de recursos são tema de plenária no Festival ABCR

Desenvolver a cultura de doação tem relação com progressão geométrica, segundo Marcelo Estraviz, escritor e ativista no segmento de mobilização de recursos

Realidade virtual pode ser uma saída para divulgar a causa de organizações sociais e contribuir no processo de captação de recursos

Diretora-presidente do IDIS explica a pesquisa Doação Brasil

Especialistas explicam como estimular a doação de imposto de renda a projetos de organizações da sociedade civil

Magic Paula abriu 8ª edição do Festival ABCR


Texto: Natália Freitas
Foto: Priscila Furuli Fotografia
Data original da publicação: 17/05/2016