Relatório traz dados sobre a regeneração da Mata Atlântica

Em 17 de janeiro, a Fundação SOS Mata Atlântica, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), lançou uma avaliação com dados sobre a regeneração da Mata Atlântica.

O Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, que monitora a distribuição espacial do bioma, identificou a regeneração de 219.735 hectares (ha), em nove dos 17 estados do bioma. A área corresponde a aproximadamente o tamanho da cidade de São Paulo. Entre os estados com maior índice de recuperação, estão: Paraná, Minas Gerais e Santa Catarina. Nos últimos 30 anos, houve uma redução de 83% do desmatamento do bioma.

O foco do estudo é analisar a regeneração sobre formações florestais que se apresentam em estágio inicial de vegetação nativa e áreas utilizadas anteriormente para pastagem, que hoje estão em estágio avançado de regeneração.

Para Márcia Hirota, diretora da SOS Mata Atlântica, o desafio principal é recuperar e restaurar as florestas nativas que foram perdidas. A ONG, desde sua criação, foi responsável pelo plantio de 36 milhões de mudas de árvores nativas pelo país, especialmente nas áreas de preservação permanente, entorno de nascentes e margem de rios produtores de água. A pesquisa contou com apoio da Bradesco Cartões e execução técnica da empresa de geotecnologia Arcplan.

Confira na tabela abaixo a regeneração ocorrida nos nove estados avaliados:

informativosetor3