Realidade virtual pode ser uma saída para divulgar a causa de organizações

14673Três pessoas assistiram um filme em óculos de realidade virtual 3D. Essa foi a primeira atividade da palestra Realidade virtual: a nova fronteira na captação de recursos na tarde do segundo dia da oitava edição do Festival ABCR no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo.

Essa atividade iniciou a palestra, os participantes narraram suas sensações e até curiosidades do filme em realidade 3D. Marcelo Iniarra, profissional da área de marketing com experiência em terceiro setor e líder de uma empresa de consultoria criativa, falou sobre esse tipo de trabalho no processo de captação de recursos feito por organizações sociais internacionais e nacionais.

Como podemos integrar a realidade virtual em fundraising? Como a indústria do turismo está usando isso? Marcelo disse que esse recurso é bem interessante, porque ajuda ao contribuinte está dentro da realidade de um projeto social, por exemplo. Esse tipo de ferramenta auxilia a pessoa a ter a sensação daquele lugar, espaço, o ambiente atendido por aquela organização. “Esse tipo de trabalho é uma construção coletiva. É importante filmar antes e depois. Pode ser uma ação face 2 face e realidade virtual. Você não precisa levar as pessoas para seu projeto, pode levar sua realidade para outras pessoas, uma boa oportunidade”, defendeu que esse tipo de trabalho seja apresentado a grandes doadores empresários que possuem pouco tempo.

Para ilustrar esse tipo de ação, o palestrante mostrou a iniciativa do New York Times com um grupo de leitores e assinantes, em que distribui óculos de realidade virtual 3D com aplicativo para que seu público possa ler reportagens especiais em realidade virtual. Também apresentou atividade interativa feita pela empresa Samsung no Shopping Higienópolis para o lançamento de um novo modelo de celular. “A capacidade de inovar tem relação com a inovação tecnológica”.

Esse recurso está sendo usado para combater fobias e até contribuir em tratamentos médicos. Ele citou o caso de alguns pesquisadores italianos que estão usando realidade virtual a pacientes com câncer para o tratamento de quimioterapia. Seria para evitar a ansiedade neles.

Mas como produzir? E os custos envolvidos? Marcelo esclareceu que tem que se produzir uma filmagem de 360º original, mostrou a câmera go pro usadas, e os óculos que possuem diferentes preços e modelos, que variam de 5 até 100 dólares no mercado. Também há ferramentas e plataformas que fazem edição automática e já fazem uma sobreposição automática. Os valores para esse tipo de produção variam de acordo com os elementos do storytelling. Ainda são poucas organizações que estão fazendo esse tipo de experiência.

“As ações precisam estar acontecendo em 360º e é importante saber e identificar o conflito e os personagens. Os filmes precisam ser curtos e emocionais”, explicou Marcelo. O profissional de marketing mostrou campanhas do Médico Sem Fronteiras, da Anistia Internacional, e recentemente como o Unicef está também usando esse recurso. “O Unicef está fazendo algo bem revolucionário e sério e conseguindo duplicar duas doações por meio do face 2 face. Eles estão fazendo uma integração com a web sobre a realidade de refugiados. Clique aqui para conhecer mais: http://www.unicef360.com/

No final de sua fala, propôs aos participantes para se dividirem em grupos e pensarem como poderia usar a realidade virtual para defender suas causas. Foram formados sete grupos de três e quatro pessoas que pensaram e compartilhar suas ideias de storytelling.
8º Festival ABCR

Entre os dias 4 e 6 de maio, ocorreu um evento voltado para captação de recursos a organizações da sociedade civil no no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo. Participaram deste encontro profissionais da área de captação e mobilização de recursos de organizações da sociedade civil; gestores de associações e fundações; acadêmicos, estudantes, pesquisadores e demais interessados em compreender a situação atual e as tendências desse segmento.

Serviço:

Acesse o site do evento: http://festivalabcr.org.br/


Imagens: Divulgação
Data original da publicação: 11/05/2016