Projeto Maré das Artes 2018

Música, artes visuais, cinema, artes cênicas e literatura fazem parte da programação.

Crédito da imagem: Thinkstock

O Sesc Paraty promove há três anos uma intensa programação cultural para o verão. O projeto Maré das Artes oferece diversa atividades artísticas, como: música, artes visuais, cinema, artes cênicas e literatura. Todas as atividades são gratuitas.

Neste ano, a programação cultural ocupará a Unidade Sesc Caborê de 17 de fevereiro a 17 de março. Ações formativas, apresentações artísticas e exposições protagonizarão essa ocupação utilizando estruturas temporárias em um lindo cenário natural. As atividades contemplam adultos, crianças, jovens e famílias que vivem em Paraty ou visitam a cidade.

Maré das Artes 2018 – de 17 de fevereiro a 17 de março, de terças-feiras aos domingos, das 10 às 21 horas – Unidade Sesc Caborê – Avenida Octávio Gama, 1709, Caborê, Paraty, Rio de Janeiro.

Inscrições abertas para as oficinas de danças circulares, dança para crianças, formação com o grupo Tapetes Contadores de Histórias, Brinquedos da Natureza, Plantando Arte e Oficina Poeira de Animação (OPA), que podem ser feitas enviando um e-mail para inscricoes.ccsp@sesc.com.br

Danças Circulares

Dias 17 /18 de fevereiro e 10 / 11 de março, 10h às 11h30

A oficina Danças Circulares, com Vânia Santos, não é uma técnica, mas uma oficina de quatro encontros, que trabalha o sentimento de união de grupo, o espírito comunitário que se instala a partir do momento em que todos, de mãos dadas, apoiam e auxiliam os companheiros. Indicada para todos os tipos de pessoas. No dia 11 de março acontece o intercâmbio com o Grupo de Tambores de São Benedito das Flores, grupo de Tambor de Crioula, manifestação popular originada no Estado do Maranhão.

São 50 vagas e as s inscrições podem ser feitas pelo e-mail inscricoes.ccsp@sesc.com.br – A partir dos 12 anos.

Carnaval da Palhaça Rubra

Dia 17 de fevereiro, a partir das 17h.

Ainda em clima de Carnaval, a Palhaça Rubra e a Banda Matinê convidam a todos para a festa carnavalesca para a família toda pular e cantar. As marchinhas populares são incorporadas no show e oferecem momentos de interação entre as gerações, e a Palhaça também apresenta marchinhas de composição própria como: A Barriga da Minha Mãe Cresce e a do Meu Pai Sempre Aparece, Na Base Duma Meia Hora, A Fada e o Almofado, entre outras.

Ninho Cantante

Dias 17, 18 de fevereiro e 3 e 4 de março, no Espaço Geodésica, e nos dias 24 e 25 de fevereiro, 10 e 11 de março, sempre das 15h às 17h.

Instalação afetivo-poética que acontece em um ninho gigante, onde trocas e encontros são ativados com a poesia de Manoel de Barros e muitos outros escritores e escritoras, que utilizam da simplicidade e da sutileza em sua poética. O público poderá adentrar o Ninho e interagir com os objetos lúdicos e sonoros, fazer desenhos inspirados pela poética das miudezas e guardá-los nos baús, ou participar de uma contação de histórias como “o menino que carregava água na peneira” e “a menina avoada” ou escutar músicas cantadas pelos integrantes e tocadas com instrumentos presentes no Ninho.

Abertura da Exposição FLORESTA ILUMINADA – Um Elogio à Beleza da Mata Atlântica, no dia 17 de fevereiro. A exposição permanece de 18 de fevereiro a 22 de abril no Espaço Jardim da Unidade Sesc Caborê.

Araquém Alcântara é apontado pelos críticos como um dos precursores da fotografia de natureza no Brasil e um dos mais importantes fotógrafos em atuação no país. Desde 1970, dedica-se integralmente à documentação da natureza e do povo brasileiro. As imagens revelam o cerne da Mata Atlântica — a potência de sua força matriz. A arte de Araquém Alcântara ilumina um sentido: para encontrar o caminho de casa, é preciso se perder na floresta.

Palestra ”Araquém Alcântara: 50 anos O Colecionador de Mundos”

Dia 18 de fevereiro, domingo, a partir das 19h.

Essa será uma grande oportunidade de conversar sobre os processos de trabalho desse importante fotógrafo brasileiro que se dedica à documentação da natureza e do povo brasileiro.

Oficina de Formação com o grupo Tapetes Contadores de Histórias

De 20 a 23 de fevereiro, das 10h às 13h.

Iniciando as festividades dos 20 anos de atuação, o grupo Os Tapetes Contadores de Histórias participa do Maré das Artes 2018, com o Ateliê de Histórias. A oficina de formação de contadores de histórias propõe que os participantes passem por uma série de dinâmicas em torno das práticas narrativas, análise da estrutura e espacialidade dos contos, e criação de suportes plásticos para contar histórias. Coordenado por Cadu Cinelli e Warley Goulart, a oficina intercala teoria e prática.

São 25 vagas e as inscrições podem ser feitas pelo e-mail inscricoes.ccsp@sesc.com.br

Sol, Chuva e Tapete

Dia 22 de fevereiro, 19h.

Com o grupo Tapetes Contadores de Histórias, “Sol, Chuva e Tapete” é um espetáculo que apresenta tapetes artesanais representando contos populares e autorais de origens diversas.

Livre – 50 lugares

Presente de Aniversário

Dia 23 de fevereiro, 19h.

São quatro contos e uma festa que levam às crianças uma ressignificação da experiência do Aniversário, evidenciando seu sentido de celebração em comunhão coletiva, buscando esvair sua acepção vinculada ao consumo.

Livre – 50 lugares

Bicho do Mato

Dia 24 de fevereiro, 17h.

“Bicho do Mato” conta a história de um jardim todo feito de tecido (moita, vaso de planta, pedra e jardineiras) abriga história de Ana Maria Machado e contos populares brasileiros na versão de Ricardo Azevedo. Cada elemento do jardim se abre e se transforma num belo cenário, onde bichos do mato encaram uma série de desafios, aprontando um monte de confusões. Nesta sessão intimista, entre uma história e outra, os contadores fazem um jogo percussivo com música, palavras e sons.

Livre – 50 lugares

Cabe na Mala

Dia 25 de fevereiro, 17h.

“Cabe Na Mala” é uma apresentação intimista onde uma mala, avental, caixas de pano viram tapetes e a caixa de luz servem de cenário para histórias de Ana Maria Machado (Brasil) e Jutta Bauer (Alemanha). Entremeado de belas canções cantadas à capela, o espetáculo convida a todos a acompanhar a trajetória dos bonecos de pano em seus cenários de sonho, luz e textura.

Livre – 50 lugares

Brinquedos da Natureza

Dias 27, 28 de fevereiro e 1 e 2 de março, das 15h às 18h.

A oficina Brinquedos da Natureza, com Vicente Barros, é um convite a brincar! A partir da vivência desses brincares, conversar sobre a infância, os espaços de brincar e a importância de se levar a brincar na natureza nos dias de hoje, criando um canal de comunicação e troca de experiências, memórias e histórias que unem pessoas, lugares, fazeres e saberes.  Vicente Barros, professor universitário do Departamento de Artes e Design da PUC-Rio, retoma os movimentos e ritmos como convite ao imaginário para brincar e inventar brinquedos.

São 25 vagas para educadores e interessados em resgate de brincadeiras. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail inscricoes.ccsp@sesc.com.br

De 6 a 11 de março, a partir das 20h.

Mostra CINEMA E MÚSICA POPULAR BRASILEIRA

Um passeio pela música popular brasileira através das lentes do cinema. Desde Gonzagão até as guitarras elétricas, misturas de sotaques e ímpetos diversos, esta programação traz ao público um recorte da história de nossa música, alguns de seus momentos e movimentos, sons e personagens.

Dia 6 de março, 20h – GONZAGA – DE PAI PRA FILHO. (ficção. 2012 – Brasil. Duração: 2h). Direção: Bruno Silveira. (class. indicativa: 12 anos).

Decidido a mudar seu destino, Gonzaga sai de casa jovem e segue para cidade grande em busca de novos horizontes e para apagar uma tristeza amorosa. Lá, ele conhece uma bela mulher, Odaléia (Nanda Costa), com quem tem um filho. Por conta de complicações de saúde da esposa, ele decide voltar para a estrada para garantir os estudos e um futuro melhor para o herdeiro. Para isso, deixa o pequeno aos cuidados de amigos no Rio de Janeiro e sai pelo Brasil afora.

Dia 7 de março, 20h – UMA NOITE EM 67. (doc. 2010 – Brasil. Duração: 1h25). Direção: Ricardo Calil, Renato Terra. (class. indicativa: 12 anos).

Final do III Festival da Música Popular Brasileira da TV Record, 21 de outubro de 1967. Entre os candidatos aos principais prêmios figuravam Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Mutantes, Roberto Carlos e Sérgio Ricardo. Com imagens de arquivo e apresentações de músicas hoje clássicas, o filme registra o momento do tropicalismo, os rachas artísticos e políticos na época da ditadura e a consagração de nomes que se tornaram ídolos.

Dia 8 de março, 20h – TROPICÁLIA. (doc. 2012 – Brasil. Duração: 1h27). Direção: Marcelo Machado. (class. indicativa: 12 anos).

Uma análise sobre o importante movimento musical homônimo, liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil no final dos anos 1960. O documentário resgata uma fase na história do Brasil em que cena musical fervilhava e os festivais revelavam vários novos talentos. Ao mesmo tempo, o Brasil sofria com a ditadura dos generais no poder, o que fez com que Caetano e Gil fossem exilados do país.

Dia 9 de março, 20h – RAUL – O INÍCIO, O FIM E O MEIO. (doc. 2012 – Brasil. Duração: 2h). Direção: Walter Carvalho, Evaldo Mocarzel e Leonardo Gudel. (class. indicativa: 12 anos).

Trajetória do conhecido cantor e compositor, polêmico, ícone e criador da “sociedade alternativa” ao lado parceiro inseparável, hoje escritor, Paulo Coelho. Um raio x do astro do rock brasileiro através de documentos, depoimentos de familiares, ex-esposas, filhas, amigos, músicos e compositores.

Dia 10 de março, 20h – LOKI, ARNALDO BAPTISTA. (doc. 2009 – Brasil. Duração: 2h). Direção: Paulo Henrique Fontenelle. (class. indicativa: 12 anos).

Documentário biográfico sobre a vida e a obra de Arnaldo Baptista, que foi o líder e fundador da banda Os Mutantes, uma das bandas brasileiras mais conhecidas e também parte fundamental do movimento conhecido como Tropicália. Os altos e baixos do grupo, a saída de Rita Lee, e também depoimentos de pessoas como Sean Lennon, Kurt Cobain e Devendra Banhart, todos grandes admiradores dos Mutantes.

Dia 11 de março, 20h – SOTAQUE ELÉTRICO. (doc. 2018 – Brasil. Duração: 1h30). Direção: Caio Jobim, Pablo Francischelli. (class. indicativa: 12 anos).

Documentário que faz uma investigação sensorial sobre a guitarra elétrica brasileira, desde a viola de machete do século XIX até a atualidade. Com caráter estranho à cultura e ritmos, a adaptação do som forma uma identidade original para além do rock and roll.

Francisco, el Hombre

Dia 3 de março, 20h.

A primeira banda independente a concorrer ao Grammy Latino na categoria de “Melhor Canção em Português” tem presença confirmada no projeto Maré das Artes 2018.

Formado pelos irmãos mexicanos Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte e pelos brasileiros Juliana Strassacapa, Andrei Kozyreff e Rafael Gomes, o ponto-chave para o crescimento da banda foi o lançamento do clipe de “triste, louca ou má”, que já contabiliza mais de 4 milhões de views no canal do YouTube e cuja canção se tornou um hino feminista.

Oficina de Dança para Crianças

Dia 8 de março, 9h às 12h.

Oficina de Dança para Crianças Trabalho Corporal Artístico, com os bailarinos Vanda Mota e Rodrigo Cruz, com proposta transdisciplinar envolvendo elementos de linguagens artísticas – dança, teatro, música e dos esportes – capoeira, estimulando práticas sociais em grupo e em relação ao meio ambiente, gerando criatividade por meio da sensorialidade.

São 15 vagas destinadas a crianças entre 8 a 12 anos. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail inscricoes.ccsp@sesc.com.br

Oficina Poeira de Animação (OPA)

De 6 a 9 de março, das 14h às 18h.

Desenhos ganham vida, sonhos adquirem forma. Essas são as maneiras mais fáceis de entender a animação. Por meio desse recurso, que pode envolver todos os segmentos da arte, é possível transformar a imaginação em realidade. Na oficina serão abordadas as seguintes técnicas: Brinquedos Óticos – Taumatrópio, Folioscópio, Flipbook, Fenaquistoscópio e Zootrópio, Desenho para Animação, Rabiscando Personagens, Pixilation e Massinha.

São 20 vagas destinadas a crianças, jovens e adultos. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail inscricoes.ccsp@sesc.com.br

Teatro Lambe-Lambe

Dias 6 e 7 de março, das 14 às 18h.

Teatro Lambe-Lambe, também conhecido como Teatro de Miniaturas, é uma linguagem de formas animadas que ocupa um espaço cênico mínimo onde são apresentadas peças teatrais de curtíssima duração por meio da manipulação de bonecos, para um espectador por vez. As caixas dessas apresentações foram confeccionadas por Pedro Brito, Franciele Souza Rodrigues e Anna Luiza Damasceno, integrantes da Oficina de Lambe-Lambe que aconteceu no Sesc Paraty, em 2017, que resgataram histórias e personagens da cidade.

Oficina Plantando Arte

De 13 a 15 de março, das 14h às 18h.

A oficina Plantando Arte, com Paulo O’Meira, é uma realização colaborativa de um painel artístico a partir de um estudo prévio da fauna e flora local. A partir desse estudo serão confeccionados moldes vazados (stencil) para o público participar e vivenciar o processo de construção do painel.

São 15 vagas para jovens a partir dos 14 anos. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail inscricoes.ccsp@sesc.com.br

Banda Graveola

Dia 17 de março, domingo, às 20h.

Encerrando o projeto Maré das Artes 2018 a banda mineira tem rumos bem traçados na sonoridade elétrica e psicodélica, tem como referências grupos como Novos Baianos, Doces Bárbaros e ritmos do maracatu, frevo, ijexá, pagode baiano e samba-reggae.

Camaleão Borboleta, é o nome do sexto trabalho da banda mineira, formado por LG Lopes, Luiza Brina, José Luis Braga, Bruno de Oliveira (baixo), Gabriel Bruce (bateria) e Ygor Rajão (trompete, escaleta e teclados), que surgiu da vontade do grupo em registrar o seu momento atual, num recorte sonoro festivo e pop de sua carreira. Buscando ancoragem em diversos ritmos afro-latino-americanos, a música do Graveola soa alegre e tropical.

COMPARTILHAR