Projeto leva educação gratuita a cursinhos comunitários

Com mais de 50 mil alunos beneficiados, projeto atinge este ano escolas estaduais de Brumadinho (MG).

Foto de sala de escritório da empresa Descomplica, com mesas de trabalho abertas e no fundo parede com ilustração de jovem na parede e caixas de diálogo ao lado.
Podem participar cursinhos pré-vestibular comunitários e escolas estaduais/municipais. (crédito da imagem: divulgação)

O Descomplica, uma plataforma de educação digital do País, está com inscrições abertas para o projeto Descomplica Social até o dia 20 de março. A iniciativa é voltada para cursinhos pré-vestibular comunitários para dar acesso gratuito a todo o conteúdo de preparação para o Enem a jovens de comunidades e periferias ao redor do país.

Aluna do pré-vestibular comunitário da Redes da Maré, no Rio de Janeiro, parceiro do projeto Descomplica Social, Gabriela Braga Maio, de 17 anos, conseguiu ingressar no curso de Relações Internacionais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Para a aluna, que alcançou a nota 940 na redação, a flexibilização de conseguir montar seu próprio plano de estudos foi um diferencial.

Neste ano, o projeto pretende ajudar as escolas públicas do Ensino Médio. Nesta fase piloto, foram escolhidas três instituições da cidade de Brumadinho (MG): Escola Estadual Abelardo Duarte Passos, Escola Estadual Paulina Aluotto Ferreira e Escola Estadual Paulo Neto Alkimin. Juntas, elas somam mais de 1.100 alunos.

Foto de reunião em sala aberta do escritório da empresa Descomplica.
Evento interno da empresa com os conselheiros do projeto Descomplica Social. (crédito da imagem: divulgação)

O plano ofertado às instituições parceiras inclui a biblioteca com todas videoaulas do acervo, aulas ao vivo no período noturno e a plataforma de exercícios para escolas. Ainda em versão beta, a proposta da plataforma é auxiliar o professor na correção das tarefas passadas, gerando um relatório que contém informações relevantes sobre o aproveitamento dos alunos, tais como: quantos alunos fizeram ou não o dever, quais questões tiveram mais erros, entre outros, o que direciona também o professor para os temas nos quais os alunos apresentam mais dificuldade.

A iniciativa conta com os seguintes parceiros da EdTech os ativistas sociais Buba Aguiar, do Fala Akari; Lola Ferreira, do Gênero Número; e Raull Santiago, do Coletivo Papo Reto.

Os cursinhos comunitários e as escolas públicas que quiserem conquistar uma vaga no projeto devem preencher o formulário de inscrição até o dia 20 de março. As inscrições acontecem duas vezes ao ano – uma no primeiro e outra no segundo semestre.

Acesse o site da iniativa aqui: https://descomplica.com.br/