Prêmio reconhecerá lideranças femininas brasileiras

Mulheres engajadas em trabalhar por um mundo melhor podem ser indicadas na segunda edição do Prêmio CEDS de Liderança Feminina.

lideranca-feminina-CEBDS-reduzida
A ideia é reconhecer mulheres engajadas de diferentes órgãos em prol de mundo melhor. (crédito da imagem: divulgação)

Mulheres de empresas, organizações do terceiro setor e do governo que trabalham em sinergia com um ou mais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), instituídos pela Organização das Nações Unidas (ONU), poderão participar da segunda edição do Prêmio CEBDS de Liderança Feminina. As inscrições vão até 20 de julho.

Neste ano, a premiação tem três categorias: empresas associadas, iniciativa novas líderes e voto popular. Para inscrever a indicação de liderança, é necessário responde a pergunta: qual liderança feminina brasileira você gostaria de reconhecer por sua contribuição ao avanço dos ODS?

O objetivo da premiação é reconhecer o papel de mulheres no cumprimento da Agenda 2030 da ONU, composta por 17 objetivos relacionados a temas ambientais e sociais, como erradicação da pobreza, mudanças climáticas, educação, gestão de recursos hídricos, saúde e bem-estar, entre outros. A iniciativa é do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), liderado por Marina Grossi desde 2010, e está conectada ao ODS 5: alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

A cerimônia de premiação acontece no dia 11 de setembro, durante o Congresso Sustentável 2018, em São Paulo.

Os critérios de elegibilidade são: em empresas associadas – cada empresa associada ao CEBDS poderá indicar uma colaboradora (avaliação em caráter excepcional para candidaturas adicionais) que desenvolva projetos para avançar na pauta dos ODS; em iniciativa novas líderes – cada empresa associada ao CEBDS poderá indicar uma iniciativa (avaliação em caráter excepcional para candidaturas adicionais) que desenvolva projetos com o objetivo principal promover a igualdade de gênero por meio da capacitação de mulheres jovens e formação de novas líderes, e no voto popular – liderança feminina do setor privado, terceiro setor ou governo, que tenha antecedência de trabalho para avançar na pauta dos ODS.

Terá uma comissão julgadora independente composta por especialistas em sustentabilidade, membros do comitê consultivo da instituição e formadores de opinião. Cada membro da comissão julgadora revisará as candidaturas recebidas e concederá notas às candidatas. A decisão do Comitê é definitiva. O CEBDS compilará todas as notas dadas pelo comitê consultivo e classificará as candidatas de acordo com a pontuação recebida. Não haverá divulgação da classificação (ranking) das candidatas, mas apenas a comunicação das vencedoras. O CEBDS não fará parte da tomada de decisões e apenas facilitará o processo.

Informações e inscrições: www.cebds.org

COMPARTILHAR