Plenária aborda formas como impulsionar propósito coletivo

14825Como estimular as empresas com propósitos coletivos? Para responder essa questão, diferentes especialistas participaram da plenária da tarde no primeiro dia do Sustainable Brands Rio 2016, no Armazém da Utopia, no Cais do Porto, no centro do Rio de Janeiro.

Marco Simões, diretor executivo da United Nations Sustainable Development Solutions Network no Brasil (SDSN-Brasil), que apoia a implantação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, convidou representantes de organizações e lideranças para integrar na rede que defende a implementação das ODSs. “Cada empresa pode mostrar e ver como podem trabalhar para implementar esses compromissos e sua visão de futuro”.

14839
Marco explicou o papel das ODSs no engajamento das empresas

Claus Stig Pedersen, professor e especialista em gestão de sustentabilidade, apresentou o trabalho de uma empresa de biotecnologia que estão voltados para criarem melhores usinas para reduzirem o consumo de água e energia. “Nossa intenção é criar mecanismos”, atentou. Também ressaltou que as grandes empresas precisam se voltar para isso, para sua pegada ecológica como uma forma se proteger suas marcas, além de se voltar para construírem empresas sustentáveis preocupadas com valores relacionados com esse tema.

O especialista em gestão de sustentabilidade falou do terceiro período em que vivemos da sustentabilidade que essa área se torna o propósito das empresas. “Nós convidamos alguns clientes e tentamos descobrir soluções e a partir daí vem muitas histórias de sucesso”. Além do cliente, ele também ressaltou a importância dos colabores trabalharem satisfeitos e os fornecedores também para uma cadeia de valor mais conectada e preocupados com a sustentabilidade. O negócio da empresa precisa ser parte da solução para grandes problemas da sociedade. Para isso, é importante levar formulação de nova estratégia das empresas.

Claus comentou sobre o papel dos programas de financiamento para atingir milhões de pessoas e economizar gás carbônico. “Quando falamos de metas, abordamos impacto positivo no mundo”. Para ajudar nesse processo, o palestrante falou da importância das metas e objetivos envolvidos nos ODSs que estão auxiliando várias empresas desde 2012. Explicou ainda que há um grupo de trabalho aberto com papel fundamental para dar apoio a empresas desenvolverem soluções do ambiente privado a marcas que adotam as metas de forma mais sustentável, comprometidos com a elaboração de seus planos de futuro, incluindo seus elementos d

14838
Claus enfatizou a importância da inovação para ações mais sustentáveis

e implementação e com metas globais, incluindo a biotecnologia, por exemplo. OS ODSs abrangem 17 objetivos, 169 metas e 15 categorias de impacto de empresas.

Do lado das organizações, Renato Guimarães, gerente de mobilização do Greenpeace Brasil, comentou que o mundo em rede traz subjetividade para a equação. Inclui múltiplas interrelações, gera abundância, natureza exponencial. Ele citou o exemplo da plataforma Airbnb, de compartilhar espaço e inovador. Elencou as necessidades para as organizações internamente: agilidade, flexibilidade, comunicação distribuída, enfrentar a cultura do nada ao erro, modo Beta, incentivar a colaboração, abrir espaço a públicos diferentes (diversidade), narrativas coerentes, engajadas e coerentes. “Cada organização encontra sua forma para se comunicar com as futuras gerações. Tem que ser colaborador, inovador e propositivo”.

14840
Renato falou do lado das organizações sociais sobre a importância do compartilhamento

Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, mostrou primeiro um vídeo sobre a vitória do maratonista Alan numa prova de corrida. “No esporte paraolímpico, há a capacidade de se convencer do potencial da deficiência”, afirmou. Ele comentou que esse tipo de esporte envolve mudança de postura, de atitude, mais colaborativa e do mercado de trabalho. Após compartilhar algumas histórias de superação de atletas, ele ressaltou a importância desses profissionais não perderem seus padrões éticos e atitude positiva. “A atitude é igual a escolha. E o que é impossível para você?”, questionou para o público.

O evento

Em sua quarta edição, o evento reuniu pessoas e empresas envolvidas com a incorporação da sustentabilidade em seus projetos de negócios. O tema central foi Activating Purpose (em tradução livre, Ativando Propósitos), um dos principais temas hoje em dia, sobre como: criar vínculos com indivíduos, grupos e coletividades que permitam gerar coerência e engajamento para a realização de negócios no presente e no futuro. A programação ofereceu workshops, palestras e arenas de debates voltadas para a sustentabilidade e temas gerais, como: alimentação, moda, transportes, modelos de negócios e de produção, novos meios de comunicação, colaboração e o novo mundo do trabalho.


Serviço:

Site: http://events.sustainablebrands.com/sb16rio/

Confira a cobertura completa:

Cultura digital, postura colaborativa e mudança de valores contribuem para engajar pelo propósito, segundo especialistas

Painel Moda Sustentável reúne diferentes especialistas para falar sobre tendências e desafios nesse segmento no Sustainable Brands Rio 2016

Especialista em relações governamentais fala como as empresas estão construindo suas marcas sustentáveis num cenário de crise

Consultores da CAuSE explicaram o que é engajamento das causas sociais, como se dá hoje, os elementos e princípios norteadores

Painel aborda questão de gênero para contribuir com desenvolvimento das marcas de empresas

O propósito das empresas foi o tema central da abertura do Sustainable Brands Rio 2016 no Rio de Janeiro

Workshop ressalta campanhas publicitárias voltadas para engajar público consumidor


Crédito da imagem: Divulgação
Data original de publicação: 29/06/2016