Plataforma nem.aí chama atenção para o trabalho voluntário

Plataforma nem.aí chama atenção para o trabalho voluntário
Crédito da imagem? Divulgação

O que é comemorado no dia 28 de agosto? A resposta para essa pergunta não está na ponta da língua para a maioria das pessoas. Nessa data celebra-se o Dia do Voluntário – e é exatamente para chamar atenção para o assunto pouco comentado que o Atados, portal que cria uma rede entre iniciativas e pessoas que desejam se dedicar a ações sociais, lançou hoje o site nem.aí em parceria com a agência J. Walter Thompson Brasil.

Pedro Chammé, um dos responsáveis pela concepção do projeto, explica que o objetivo foi abordar o tema de uma maneira incomum. Em vez de falar diretamente sobre voluntariado, a estratégia foi ir de encontro ao discurso oposto, de quem não está nem aí ou sempre tem algum motivo para não se envolver. “A gente trabalhou com as desculpas, ficamos pensando no que as pessoas sempre falam. Foi uma provocação”, conta. Entre as justificativas, estão frases conhecidas como “Não sei por onde começar”, “Não tenho tempo para essas coisas”, “Não sou a Madre Teresa de Calcutá”, entre outras.

No entanto, o último item da lista mostra uma mudança. A seção Na verdade, eu tô aí sim!, afinal, é a que contempla aqueles que querem ajudar alguma causa. Em todas as outras há sugestões de ações e organizações, mas essa é a mais enfática. Segundo Pedro, o desejo do Atados era promover não só a própria plataforma, como também outras ONGs e instituições parceiras. “Não é só por nós, é por todo o terceiro setor”, conta ele.

No fim de 2014, uma pesquisa da Fundação Itaú Social realizada pelo Instituto DataFolha mostrou que o trabalho voluntário no país ainda é insuficiente: a cada dez brasileiros, somente três já realizaram alguma ação do gênero. Os argumentos mais frequentes utilizados pelos sete restantes são: falta de tempo (42%), nunca ter sido convidado a participar de voluntariado (29%), nunca ter pensado na possibilidade (18%) e não saber onde obter informações sobre o tema (12%).

Qualquer semelhança com as desculpas citadas pelo nem.aí não é mera coincidência. Por isso a iniciativa se torna tão importante. Qualquer pessoa pode encontrar uma área de seu interesse para atuar, sabendo que o importante é ajudar de alguma maneira. “O trabalho do Atados não acaba em si, ele é um intermediador. É tudo soma, vamos juntar forças”, finaliza Pedro.

Conheça aqui o nem.aí: http://nem.ai


Texto: Natália Freitas
Data original de publicação: 28/08/2015