Plataforma dá dados integrados dos Estados da Amazônia Legal

Iniciativa fomentada por Uma Concertação pela Amazônia, desenvolvida pela Consultoria Macroplan com apoio do Instituto Arapyaú.

Imagem da home da plataforma Amazônia Legal em Dados com ícones em dados, natureza, mapa do Brasil, gráficos econômicos, população e trabalhadores. Texto central: Visão integrada do território formado pelos nove estados da Azmônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins).
Plataforma inédita permite cruzamento de dados e análises, com acesso gratuito. (crédito da imagem: divulgação).

A plataforma Amazônia Legal em Dados oferece 113 indicadores em 11 temas dos nove Estados da Amazônia Legal, como: ciência e tecnologia, demografia, desenvolvimento social, educação, economia, infraestrutura, institucional, meio ambiente, saneamento, saúde e segurança. A ideia justamente é disponibilizar dados e informações confiáveis dessa região. A plataforma Amazônia Legal em Dados foi fomentada pela iniciativa Uma Concertação Pela Amazônia, e pode ser acessada gratuitamente pelo link: https://amazonialegalemdados.info

A ferramenta também disponibiliza análises de questões críticas e desafios principais nos últimos 10 anos. Os dados podem ser visualizados por municípios e dentro de quatro grandes divisões da Amazônia: arco do desmatamento, cidades, região antropizada e conservada.

Também permite checar com agilidade diferentes dados, como, por exemplo, quais os coeficientes de Gini (que mede a desigualdade de renda domiciliar per capita) dos Estados e da região. O território da Amazônia Legal aparece em crescente evolução no coeficiente de Gini, que em 2019 foi de 0,535, próximo da média nacional (0,538), mas ainda distante da região Sul, que foi 0,467. Quanto mais próximo de 1, maior é a desigualdade. O melhor indicador na região foi registrado no Mato Grosso, de 0,456, em 2019, refletindo sua posição como o Estado com a melhor renda domiciliar per capita da Amazônia Legal, no valor de R$ 1.360,20, enquanto a média da região é de R$ 872,00.

Uma Concertação Pela Amazônia surgiu em 2020 sob a premissa de que é preciso gerar conhecimento, promover o debate e buscar consensos sobre os diversos aspectos e dimensões que envolvem a região amazônica. Integram mais de 250 lideranças que priorizaram o entendimento da complexidade da Amazônia como condição essencial para o desenvolvimento do país. Estão nessa iniciativa representantes de toda a sociedade brasileira, como governos, entidades filantrópicas, setor econômico, comunidades locais e academia, que buscam soluções de conservação e de desenvolvimento sustentável da região.

Acesse as informações da plataforma Amazônia Legal em Dados: https://amazonialegalemdados.info