Prosas traz panorama geral dos editais de 2019

Plataforma Prosas lança levantamento de tipos de editais publicados no passado, perfis de patrocinadores, áreas com mais recursos e fluxo de funcionamento desses recursos.

Banner com chamada Editais Brasil - Lançamento Lançamento de uma pesquisa inédita do Prosas sobre quase 1700 editais para o Brasil em 2019.
O webinar de lançamento da pesquisa estpa no canal do Prosas no Youtube. (crédito da imagem: divulgação)

1.675 editais de organizações nacionais e internacionais lançados por 1.069 organizações. Esse é um dos principais resultados do Relatório Editais Brasil 2019, realizado pela plataforma Prosas. A ideia central do levantamento é compartilhar informação sistematizada e de qualidade sobre o financiamento de iniciativas de interesse público no país.

Para fazer esse estudo, analisou-se as principais características dessas chamadas públicas e as informações foram compiladas em um relatório sobre o perfil para as áreas social e criativa no Brasil.

Do total de editais, 82,6% foram iniciativas de organizações baseadas no Brasil e restante de organizações internacionais de diversos perfis, 17,4% (órgãos multilaterais, governos, embaixadas, institutos e fundações).

A pesquisa traz editais da Central de Editais, aqueles com inscrições por fontes diversas, mapeados e divulgados no Prosas, 1.534 editais (91,6%), que representa R$ 1.087 bi divulgados. E aqueles com inscrições pela tecnologia do Prosas, que foram 141 editais (8,4%), que representa R$ 195 mi geridos.

Os editais foram classificados por sua abrangência territorial: 51,2% editais nacionais (editais sem restrição de local de execução ou origem geográfica do proponente), 25,9% municipais (projetos focados em um único ou conjunto restrito de municípios de execução ou origem do proponente); e 22,9% editais estaduais e regionais (chamadas públicas voltadas para um determinado Estado ou para uma determinada Região do país).

Em relação à finalidade ou objetivo do edital, observa-se: literatura (21,9%), apoio a projetos e OSCS (13,9%), festivais (12,4%), concursos e prêmios diversos multicategorias ou outros (10,5%), artes cênicas, concursos e curadorias (6,4%), artes visuais, concursos e curadorias (5,9%), entre outros.

A maioria dos editais no Brasil é voltada para as indústrias cultural e criativa. Se somar todos ligados a prêmios, concursos e curadorias de segmentos artísticos, festivais, são 61,1% do total de editais com finalidade cultural.

Saúde está na berlinda. Somente 14 editais voltados para essa área de atuação e a maioria de leis de incentivo.

Os editais lançados para o Brasil mobilizaram um valor de R$ 1.282.464.710. Esse número não representa a totalidade disponibilizada por esse caminho. Isso ocorre, porque somente 628 editais disponibilizaram em seu regulamento o montante total a ser investido.

A pesquisa traz dados sobre o perfil do patrocinador: 20,3% organizações da sociedade civil diversas; 17,7% órgãos internacionais; 14,3% editora; 6% empresa (incluindo economia mista); 3,5% institutos, fundações não empresariais; 2,3% institutos e fundações empresariais; 2,3% sistema S; 2,3% universidades, entre outros.

No ano passado, surge uma nova categoria: os editais para emendas parlamentares, uma iniciativa de deputados federais e estaduais de diversos partidos e regiões que passaram a utilizar um instrumento de seleção mais transparente e democrático para o destinado dos recursos que gerenciam. Foram 16 parlamentares que lançaram chamadas individuais ou coletivas com essa finalidade.

Os governos (48,6%) também são os principais destaques sobre o montante investido em editais no Brasil, representante quase metade do total, seguido com certa distância por empresas/institutos empresariais e órgãos internacionais.

Mais dados, curiosidades e estatísticas podem ser acessadas aqui no link: https://editaisbrasil.com/

No dia do lançamento do estudo, houve webinar disponível no Youtube do Prosas: https://bit.ly/2zTAetb