Palestra promove discussão sobre engajamento e a importância das redes sociais na extrema zona sul de São Paulo

0
486

11666192_415175225344567_8379820936336325646_nDos 1.521 km² pertencentes a cidade de São Paulo, 360 –cerca de 24% do total- representam o distrito Parelheiros/Marsilac. A região, hoje, abriga parte da Mata Atlântica e o rio Capivari, responsável pelo abastecimento de 30% das represas Guarapiranga e Billings. Todos esses dados foram apresentados na palestra Internet, Engajamento Social e Interesse Público em Parelheiros, oferecida no último dia 24 pelo Senac Largo Treze, na zona sul de São Paulo. A ação foi promovida pela biblioteca da unidade, parceira da instituição na organização do evento.

Para ministrar, a instituição convidou o ex-aluno Marivaldo, que é técnico em gestão de políticas públicas, trabalha na área de relações institucionais e é responsável pela página “Parelheiros Turístico”, perfil no Facebook que divulga dicas de lazer na região. Toda a apresentação foi focada na atuação dos moradores do território Parelheiros/Marsilac, localizado na zona sul de São Paulo. Além disso, estava presente o coletivo Bike Zona Sul (BZS), formado por oito colaboradores com o objetivo de discutir mobilidade urbana e sustentabilidade.

Parelheiros, que também é divisa com a cidade litorânea de Itanhaém, abriga diversos movimentos sociais que são resultado do engajamento dos moradores. Entre os principais, está o Movimento Popular da Saúde, criado há mais de vinte anos. Para Marivaldo, o interesse público é o conjunto de anseios individuais voltados para o bem de uma maioria. “A participação social é um instrumento de cidadania. Todo indivíduo tem o dever de participar, colaborar e questionar a administração pública, afinal, é a população que sabe quais são suas reais necessidades”, pontuou. Ressaltou, também, que as audiências públicas da cidade e Estado são abertas para quem quiser participar.  “O setor público deve estar com as portas abertas para a sociedade. Todos devemos ter o direito de entender e opinar no que impacta em nossa vida”. Marivaldo conta, também, que a união dos moradores foi essencial para a melhoria do bairro. “Acredito que, ao invés de pensar em sair de um bairro por ele não estar adequado, é melhor lutar pela mudança dele”.

Educação ambiental é prioridade nas pautas de Parelheiros . “O engajamento começou com a criação das Áreas de Proteção Ambiental (APAS). Desde 2014, somos oficialmente o polo do ecoturismo de são Paulo. Educar é algo extremamente importante para o desenvolvimento sustentável”. A região conta com conselhos que discutem meio ambiente, segurança, cultura e lazer. Todos eles são participativos, ou seja, são formados pela população local e membros da subprefeitura. A valorização do trabalho de produtores locais também foi citada durante a apresentação. “Empreendedorismo local também é nosso foco. Devemos desenvolver e disseminar iniciativas sustentáveis, para que as pessoas sejam multiplicadores da ideia na região”, pontuou.
16299015_1867064186900083_5322881137013529289_nAs consultas públicas, de acordo com Marivaldo, também contribuíram para o avanço da região. “Há um tempo lançaram a consulta pública na internet para decidir quais pontos da cidade ganhariam Wi-Fi livre. Conseguimos indicar o Parque Linear de Parelheiros, mas infelizmente não alcançamos nosso objetivo”. Afirma também que os cidadãos devem se manter próximos ao Poder Legislativo. “Se você escolheu um vereador, é importante acompanhar o trabalho dele. Assim criamos senso crítico e conseguimos identificar se ele está preocupado com o bem do município ou não”.

Outro hábito são as reuniões promovidas pelo Conselho de Segurança com a Guarda Civil e Polícia Militar. “Procuramos marcar os encontros depois do horário comercial, para que o maior número possível de pessoas consiga comparecer”.

Sobre as ferramentas utilizadas para engajar a população, o Facebook teve destaque. Páginas criadas pelos próprios moradores são usadas para informar sobre a atual situação de Parelheiros. “A saúde era uma preocupação nossa. Quando o hospital regional começou a ser construído, nós criamos um perfil para atualizar com dados e fotos da obra”. Marivaldo era responsável por visitar a construção e fotografa-la. “Eu vejo isso como uma forma de organização e de manter os moradores sempre cientes do que está acontecendo”. A autorização para construção do hospital demorou cerca de 6 meses para sair.

Além disso, dois grupos, também no Facebook, também circulam notícias sobre o que acontece na região. Atualmente, os dois contam com mais de dez mil seguidores. Marivaldo conta, também, que as redes sociais são uma forma de escutar a opinião da população e agendar eventos. “Outra coisa positiva é a integração que essas páginas promovem. Muitas vezes a população se confunde e acaba fazendo uma reclamação específica para um conselho ou órgão que não pode resolve-la. Cuidamos, então, assim que recebemos, de repassa-las ao lugar certo”, conta Marivaldo.

15941177_608923772636377_860233498102216233_nFinalizou pontuando a ação do Bike Zona Sul e destacando as pedaladas promovidas pelo grupo. “Buscamos incentivar as pessoas a utilizarem cada vez mais a bicicleta. Entendemos que é algo bom para a saúde e para o meio ambiente”. Hoje a página da iniciativa no Facebook tem cerca de 18 mil seguidores.

Respondendo uma das perguntas feitas pelo público, Marivaldo conta que a Prefeitura de São Paulo sempre foi parceira nas ações de mobilidade urbana no bairro. “Nós geralmente dialogamos com a Subprefeitura. Precisamos da Prefeitura uma vez, assim que tivemos a ideia da pedalada, junto com o BZS, e deu certo”.

A página Parelheiros Turístico pode ser acessada pelo link: https://goo.gl/HXvo54
Para mais eventos do Senac São Paulo, acesse: https://goo.gl/DHma28