ONU lança relatório Situação da População Mundial 2016

13765709_1093888263966992_555111946049146307_oNo dia 26 de outubro, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou, em Brasília, o relatório Situação da População Mundial 2016. O estudo analisa como leis, serviços, políticas, investimentos, dados e padrões que permitam garantir os direitos das meninas com idades entre 10 anos ou mais podem determinar o cumprimento da Agenda 2030 e seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

A publicação aponta o casamento precoce, trabalho infantil e outras práticas como prejudiciais à saúde e os direitos das mulheres. “Para milhões de meninas, a chegada da juventude marca o início de uma vida de pobreza, impotência e perda de oportunidades. Muitas se casam precocemente, engravidam, e com a gravidez vem os riscos para a saúde e o acesso limitado à educação, minando as perspectivas futuras dessas meninas e perpetuando o ciclo intergeracional da pobreza”, afirma Jaime Nadal, representante do UNFPA no Brasil.

Além disso, para ele, essa é uma violação dos direitos fundamentais das meninas e uma injustiça imperdoável. O estudo mostra que entre cinco nascidos, pelo menos um é filho de adolescentes de no máximo 19 anos. “Quando uma menina desfruta de seus direitos, é capaz de permanecer na escola e manter-se saudável, ela tem uma chance melhor de realizar seu pleno potencial quando atingir a idade adulta”, diz.

Há partes do mundo onde, com 10 anos de idade, as meninas podem expandir seus horizontes e ganhar acesso a novas possibilidades. No entanto, realidade é muito diferente, e barreiras começam a aparecer no caminho para a vida adulta como escolhas e oportunidades limitadas.

Na América Latina e no Caribe, mais de 90% dos países têm uma política, estratégia ou programa destinado a promover a igualdade de acesso à educação de meninas adolescentes e 78% das meninas frequentam o ensino médio.

Esses e outros dados podem ser conferidos na publicação, que está disponível na íntegra em http://unfpa.org.br/novo/index.php/situacao-da-populacao-mundial


Data original da publicação: 14/11/2016

Texto original: Da redação

COMPARTILHAR