O que os jovens pensam sobre Ensino Médio e a escola dos sonhos?

Estudo Nossa Escola em (Re)Construção traz reflexões de mais de 258 mil estudantes de todo o país sobre esses dois temas.

Arte da capa de estudo Nossa Escola em (RE)Construção e o desenho de cone de trânsito lado direito.
64% jovens mencionam a possibilidade de contar com a presença de psicólogos no ambiente escolar. (crédito da imagem: divulgação)

Mais do que apenas conteúdos, os jovens esperam encontrar na escola um espaço para descobrir suas vocações, sonhos e fazer escolhas de vida. Quatro a cada dez estudantes gostariam de ter um orientador vocacional na escola dos sonhos. O contato com esse profissional deve acontecer, segundo eles, de forma regular e integrada à rotina: 27% desejam ter conversas nas aulas normais, 19% querem aulas semanais especiais com esse objetivo e 7%, mensais.

Esses dados fazem parte da terceira edição da pesquisa Nossa Escola em (Re)Construção, promovida pelo Porvir, em parceria com a Rede Conhecimento Social. Realizada a partir de dados coletados em 2019, por meio de uma plataforma de escuta on-line e gratuita, a pesquisa ouviu 258.680 estudantes de 11 a 21 anos de todo o Brasil. A mobilização para participar da consulta, este ano, contou com a parceria das redes estaduais de educação de Acre, Alagoas, Mato Grosso, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Tocantins e Distrito Federal.

Esse levantamento traz dados sobre as percepções e as demandas dos jovens em relação ao Novo Ensino Médio, ao desenvolvimento integral, à relação com os professores e outros profissionais, ao uso de tecnologia na escola e o envolvimento e o desejo por mais participação nas decisões.

A pesquisa Nossa Escola em (Re)Construção foi criada em 2016 a partir da metodologia PerguntAção, desenvolvida pela Rede Conhecimento Social, que envolve o público pesquisado em todo o processo.

Para esta terceira edição, o questionário foi reformulado levando em conta a urgência de ouvir os estudantes sobre o Novo Ensino Médio.

Foi identificado ainda que 24% deles entendem que a escolha do itinerário formativo deve levar em conta a afinidade com a faculdade que desejam fazer e 19% a preparação para o Enem e vestibular. Ao mencionar o melhor momento para fazer essa escolha, 41% querem optar logo no início do ensino médio, mas outros 43% preferem adiar essa opção ou acham que ainda é muito cedo para pensar sobre isso. Tanto em um caso como no outro, fica clara a necessidade da escola oferecer apoio para que o estudante saiba, cada vez mais cedo, fazer escolhas que vão impactar em sua vida.

Outros dados desse estudo foram: sete a cada 10 consideram regular ou ruim o uso da tecnologia em suas escolas; quatro a cada 10 dizem o professor ideal sabe explicar bem os conteúdos e três em cada 10 propõem diferentes atividades nas aulas; 79% dizem que suas escolas possuem grêmio, mas só 45% consideram que estudantes participam das decisões.

Veja o questionário e os resultados completos em: https://porvir.org/nossaescolarelatorio/