Nova roupateca em São Paulo estimula o consumo consciente

13173952_1036721503042900_787164136734307530_n

Quem nunca comprou uma roupa para usar em uma ocasião especial que depois ficou para sempre guardada nos fundos do armário? Se muitas pessoas se identificam com essa situação, pode ser que que existam diversas peças por aí sem utilidade. Ou seja, sinônimo de gasto de dinheiro e material.

O empresário Wolf Menke acreditou que isso poderia ser diferente. Em novembro do ano passado ele lançou, junto às empreendedoras Dani Ribeiro e Nathalia Roberto, a House of Bubbles no bairro de Pinheiros, em São Paulo. Misturando conceitos de economia colaborativa, inovação e sustentabilidade, o espaço possui uma roupateca, isto é, um guarda-roupa compartilhado. É possível pegar uma roupa “emprestada”, desde que seja devolvida limpa e em bom estado no prazo estipulado.

“A gente quer ajudar as pessoas a pensarem que elas podem ter as coisas só enquanto querem. A ideia não é ser dono. É usar, ter acesso”, conta Nathalia. A publicitária, de 35 anos, acredita que a casa é capaz de provocar reflexões sobre hábitos de vida e consumo. Para ela, a proposta vai de encontro a uma das indústrias mais nocivas para o planeta, que é a moda: “talvez seja uma forma de terem que produzir menos”.

Responsável pela curadoria do acervo, entre outras funções, ela conta quais são os critérios de seleção das roupas: “São itens atemporais, de boa qualidade, não necessariamente de marca, mas a gente zela para que sejam diferenciados e tenham uma história para contar”. Algumas das peças são concedidas por marcas, que usam o espaço como vitrine, mas a maioria já é usada e vem de doações de pessoas comuns.

14377
Nova roupateca em Pinheiros

Como funciona?

Foram criados três tipos de planos para assinaturas: a mensalidade de R$ 100,00 permite que o assinante leve uma peça por vez; com R$ 200,00 é possível pegar até três itens juntos; e com R$ 300,00 dá para “alugar” até seis ao mesmo tempo. O procedimento de levar peças para casa pode ser repetido quantas vezes a pessoa quiser, desde que não exceda seu limite de itens por vez e que devolva cada um dentro do prazo, que vai até dez dias.

Desde dezembro até o fim de janeiro, a roupateca conta com cerca de 50 usuários betas, que estão testando a dinâmica. Diana Assennato, diretora de comunicação do House of All – rede responsável pela House of Bubbles e outros espaços colaborativos na cidade – é uma das assinantes e já experimentou o esquema: “Ontem tive uma palestra, peguei um look mais sério. Hoje tenho um evento, então já troquei e peguei algo para usar a noite. É uma super mão na roda”.

Ela também foi uma das doadoras que tirou roupas do próprio armário. “São peças lindas, boas e de qualidade que eu uso duas vezes por ano. Se eu deixar na roupateca, vou continuar usando, mas outras podem acessar também”, disse, explicando seu processo de escolha. Feliz com a experiência, ela comenta: “Como isso não existia antes?”.

Parcerias

No andar de baixo da roupateca, está em instalação uma lavanderia self-service. Já o andar de cima é reservado para startups em expansão que serão convidadas a vender seus produtos no local durante períodos pré-determinados.

A primeira dela foi a Insecta Shoes, produtora de sapatos veganos e ecológicos. Nathalia Roberto explica que a intenção é ajudar marcas que tenham causas parecidas. “Queremos apoiar pequenos produtores que tenham a ver com a nossa filosofia de promover um consumo mais sustentável e consciente”, diz. Dessa maneira, as novas marcas ganham uma chance de divulgação, de testar produtos e o relacionamento com o público.

A House of Bubbles é vizinha da House of Work, da House of Food e House of Learning, espaços de cocriação e coworking que também fazem parte da rede House of All.


Serviço:

A roupateca funciona de segunda a sexta-feira, das 11 às 20 horas, e aos sábados, das 11 às 17 horas, na Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 61, em Pinheiros, São Paulo – SP.
Página da roupateca no Facebook: https://goo.gl/eGVStI
Site da House of All: http://goo.gl/AGdy2b


Texto: Natália Freitas
Imagens: Divulgação
Data original de publicação: 14/01/2016