Nova chamada do projeto de financiamento colaborativo

Nova fase potencializará ações periféricas com capacidade de multiplicação, sustentabilidade e continuidade por meio de políticas públicas ou da iniciativa privada.

Banner com foto de jovem bailarina na comunidade e texto: Matchfunding Enfrente + 4 milhões para as periferias - nova chamada.
A intenção é gerar reconhecimento para as soluções das periferias e de fomentar um movimento colaborativo de financiamento dessas ações. (crédito da imagem: divulgação)

A Fundação Tide Setubal promove nova fase de convocação do Matchfunding Enfrente, edital de financiamento coletivo que já mobilizou mais de R$ 7 milhões para projetos das periferias brasileiras que enfrentem os impactos da pandemia de Covid-19 nestes territórios, mais afetados pela crise sanitária. As inscrições vão até 30 de agosto e podem ser realizadas na plataforma Benfeitoria, parceira no projeto: benfeitoria.com/enfrente

Em parceria com as Fundações Itaú Social e Arymax e os Institutos Galo da Manhã e Humanize, a nova chamada é direcionada a projetos de longa duração, capazes de solucionar problemas urbanos, sociais e econômicos que surgiram ou que se aprofundaram nas periferias a partir da pandemia.

Diferentemente da chamada anterior, que convocou iniciativas emergenciais de combate ao coronavírus, o objetivo agora é selecionar 15 projetos estruturantes, que receberão recursos por três anos.

Qualquer pessoa física, jurídica ou coletivos residentes das periferias urbanas brasileiras podem inscrever suas campanhas com metas de até R$ 90 mil anuais, sendo R$ 30 mil via crowdfunding (captação com parceiros) e R$ 60 mil de aporte do Fundo para os projetos que conseguirem chegar à meta, totalizando R$ 270 mil em três anos.

Iniciativas que se inscreveram ou que foram selecionadas na Fase 1 do Matchfunding Enfrente também poderão se candidatar. Os projetos selecionados receberão, ao longo de três anos, consultoria especial da Benfeitoria e R$ 2 mil não reembolsáveis para prepararem uma campanha de arrecadação.

É desse diagnóstico que vem a decisão de potencializar projetos estruturantes, que criem sinergias locais, gerem impacto e tenham capacidade de continuidade, sustentabilidade e multiplicação, seja por meio de políticas públicas ou da iniciativa privada — um dos critérios do projeto. A iniciativas devem definir claramente o problema que pretendem resolver, a solução pensada para isso e o processo de implementação, por meio de um planejamento de três anos, com melhorias alcançadas ano a ano, até a conclusão final.

A iniciativa pretende gerar dois ciclos anuais permanentes de captação de projetos e recursos, com novas rodadas de captação sempre no segundo semestre.

Acesse aqui o link da iniciativa no site da Benfeitoria: https://benfeitoria.com/canal/enfrente