Livro da Editora Senac oferece 70 brincadeiras

Em período de quarentena, a publicação pode ajudar pais a conhecer ou relembrar antigas brincadeiras para passar o tempo de forma leve e divertida.

Capa de livro de foto de grupo de crianças brincando de cabo de força com personagens da Turma da Mônica e Título: Brincando com a Turma da Mônica.
Livro é uma oportunidade de entreter as crianças durante a quarentena. (crédito da imagem: divulgação)

Cabra-cega, corre-cutia, passa anel, futebol de tampinhas, stop, cama de gato, mãe da rua, pique-bandeira, cabo de guerra, pular elástico. Todas essas são brincadeiras que podem ser feitas sozinha, em dupla, em grupo e em qualquer espaço. O livro Brincando com a Turma da Mônica, de Ricardo Nastari, da Editora Senac São Paulo, descreve mais de 70 brincadeiras populares.

Grande parte da população vem enfrentando o desafio de entreter as crianças também reclusas em período de quarentena. Nesse sentido, a publicação oferece dicas de um educador especializado em educação lúdica, Ricardo Nastari.

O autor conta que, além das atividades serem divertidas, são ótimas para descansar das telas dos celulares, computadores e tablets. “As brincadeiras tradicionais, o mundo dos jogos e passatempos exercem papel determinante na formação humana. Estudos comprovam que brincar é a maneira mais primitiva e natural de aprendizado, pois é assim que a criança experimenta o corpo, o espaço, o tempo e as relações”, afirma Ricardo.

Seguem abaixo três brincadeiras para crianças e adultos se divertirem juntos:

Cabra-Cega: brincadeira antiga e popular entre as crianças. Coloque uma venda nos olhos de uma pessoa e faça girar algumas vezes, para ficar desnorteada. Os outros ficam em volta gritando “Ó, cabra-cega”, “Ó, cabra-cega”, ou tocando nas costas da pessoa para não serem pegos. De olhos vendados, a cabra-cega tem que pegar alguém e tem duas chances para adivinhar quem pegou, podendo tocar no rosto e no cabelo. Se acertar, a pessoa pega e vira a próxima cabra-cega. Se erra, continua ser a pegadora.

Corre, Cutia: brincadeira de pegador em formato de roda cantada, também conhecida como Lenço Atrás. Todos sentam numa roda voltados para o centro. Um jogador começa segurando um lenço na mão, em pé, girando ao redor da roda enquanto todos cantam:
“Corre, cutia, na casa da tia
Corre cipó, na casa da vó
Lencinho na mão, caiu no chão
Moça bonita do meu coração
Pode Jogar?
Pode
Ninguém vai olhar?
Não”
Quando a música termina, todos fecham os olhos, e o jogador deixa cair o lenço atrás de uma pessoa. Esta, ao perceber, deve apanhar o lenço e correr atrás de quem jogou, para pegá-lo antes que ele sente em seu lugar. Se for pego, irá para o meio da roda “chocar” ou “pagar mico”. Se conseguir sentar sem ser pego, ficará no lugar do outro, que recomeçará correndo em volta da roda. Todos cantam novamente, e assim por diante.

Passa Anel: as pessoas ficam numa fila, sentadas lado a lado ou em pé, com as mãos unidas à frente do corpo. Uma delas também fica com as mãos unidas carregando um anel dentro delas. Vai passando sua mão dentro das outras, uma de cada vez, deixando o anel cair numa delas sem que os outros percebam. Enquanto passa, vai falando “Passa anel, passa anel…”. Quando passar por todas, mostra sua mão vazia e pergunta a uma delas com quem está o anel. Este é o momento de disfarçar, para dificultar a descoberta de quem está com o anel. Se a pessoa acerta, torna-se o passador; se erra, quem está com o anel torna-se o passador. Existe também outra maneira de jogar: o mesmo passador repete, se o outro não acertar.

Brincando com a Turma da Mônica
Autor: Ricardo Nastari
Editora: Editora Senac São Paulo
Páginas: 144
Preço: R$ 63
Site Livraria Senac: https://www.livrariasenac.com.br/