Leitura contribui para novas conexões neuronais, segundo professor do Centro Universitário Senac

Pesquisador foi um dos palestrantes da live sobre saúde mental na 5ª Semana Senac de Leitura Digital, realizado em outubro.

Ilustração do planeta Terra envolto por uma linha e fundo colorido.
Um dos participantes da 5ª Semana Senac de Leitura Digital conversa sobre biblioterapia e seus impactos. (crédito da imagem: divulgação)

“A biblioterapia não é apoio psicológico, tampouco busca ser remédio para todos os males; mas pode promover mudanças tornando as pessoas capazes de enfrentar e elas mudarem, serem melhores, enxergarem o lúdico como um projeto de mudança”, afirma Gustavo Alves de Andrade, farmacêutico bioquímico, doutor em Biotecnologia, mestre em Farmácia, pós-doutorando em Anatomia e Cirurgia fala sobre a biblioterapia nos dias de hoje.

O professor do Centro Universitário Senac foi um dos palestrantes a 5ª Semana Senac de Leitura Digital, que teve como tema Diversidades: muitas formas de ler e aprender o mundo, entre os dias 13 e 17 de outubro. Nesses cinco dias, foram 122.56 pessoas interagindo nas lives e oficinas para falar sobre diversidade de gênero, inclusão, minorias, direitos humanos e saúde emocional.

O pesquisador em Doença de Alzheimer e coordenador do grupo de cuidados farmacêuticos ao idoso do CRF-SP conversou conosco sobre o impacto da leitura no contexto da pandemia, a biblioterapia, a leitura para a construção e fortalecimento do pensamento crítico.

Portal Setor3 – Como a leitura em tempos de pandemia pode ajudar na saúde mental? Como ela se torna um “bom remédio”?
Gustavo Alves de Andrade – A pandemia tende a isolar as pessoas, reduzir as relações, e como consequência, impedir a troca de informações, o diálogo e todas as manifestações comuns à cognição. A leitura é a forma mais saudável de manter-se conectado, a própria OMS fez esta recomendação. O ato de ler estimula a criatividade e o curso do pensamento, pois forma novas conexões neuronais.

Portal Setor3 – Você poderia explicar como funciona a biblioterapia? Quais espaços ela é bem utilizada, em quais casos e que tipo de público usa mais esse tratamento?
GAA- A biblioterapia, semelhante a musicoterapia, baseia-se na leitura como forma terapêutica, uma intervenção não farmacológica, apropriada a todos as pessoas e situações. Ela é indicada não somente para pessoas “doentes” ou com “transtornos”. Ela é reconhecida como uma terapia de blindagem do cérebro, de proteção. Obviamente as pessoas irão optar por temáticas que lhes interessam. O fluxo sanguíneo aumenta, a oxigenação cerebral também e novas áreas do cérebro serão irrigadas.

Portal Setor3 – Poderia citar um exemplo bem sucedido de biblioterapia no Brasil?
GAA- A biblioterapia no tratamento do câncer infantil, um belo trabalho no Hospital infantil Albert Sabin, realizado de 1994 a 1999. Lá eles incentivaram a leitura, utilizaram clássicos como Pinóquio, A bela adormecida, Os Três Porquinhos e outros da literatura infantil.

Portal Setor3 – De que forma os espaços de leitura ajudam na democratização da leitura e na construção do pensamento crítico?
GAA- Como você disse, são democráticos, para todos. Atingem todas as camadas sociais e níveis de intelectualidade; até mesmo os contadores de história no trabalho junto a analfabetos; estruturam a base do conhecimento, promovem acesso e cidadania.

Portal Setor3 – Como um livro pode influenciar nas fases de vida e pode libertar a mente para sonhar e projetar planos?
GAA- Um livro pode influenciar em toda a vida, ser uma espécie de “gatilho”, abrir a mente, fazer e permitir sonhar. Muitas vezes a leitura de um livro aflora aptidões desconhecidas, direciona vocações e aponta profissões. Os livros são imensos portões que se abrem para novas experiências, aprendizados, emoções e sonhos.

Confira abaixo todas as lives da 5ª Semana Senac de Leitura Digital no canal do Youtube do Senac são Paulo:

Semana Senac de Leitura Digital – Qual a Importância da Leitura na Saúde Emocional

Semana Senac de Leitura Digital – A Leitura em Ambiente Carcerário

Semana Senac de Leitura – Literatura Periférica – entre a realidade, sala de aula e o vestibular

Semana Senac de Leitura Digital-Diálogos Transvestigêneres-resgates de culturas e novas narrativas

Semana Senac de Leitura Digital – Mulher – leitura do mundo e seus desafios

Semana Senac de Leitura Digital – Inclusão e Leitura no Brasil

Semana Senac de Leitura Digital – Deficiência Visual – muitas formas de ler o mundo

Semana Senac de Leitura Digital – Literatura e Diversidade – o que precisamos aprender

Semana Senac de Leitura Digital – Diversidade – muitas formas de ler e aprender o mundo