Jovens percorrem o país e estimulam o empreendedorismo social com divulgação de modelos de negócios vencedores

Desejo de empreender e a motivação de colaborar para um mundo melhor. Essa é a combinação precursora de um modelo que tem ganhado espaço nos últimos anos: os negócios sociais. No entanto, para se atingir o sucesso nessas novas empresas, não basta apenas ter boa vontade. É preciso fazer pesquisas de mercado, planejamento, captação de recursos e relacionamento com o cliente, além de traçar a definição clara dos impactos socais. Com o objeto de mapear essas iniciativas bem sucedidas, os jovens Fabio Serconek e Pedro Henrique Vitoriano têm percorrido o país com o Projeto Brasil 27.

A ideia surgiu quando a dupla retornou ao Brasil após um tempo de estudos no exterior. Os dois fizeram mestrado na Europa, porém em áreas diferentes. Fabio cursou gestão de inovação, enquanto Pedro seguiu para desenvolvimento sustentável, com a tese focada em negócios sociais. O estudo aflorou o desejo de abrir o próprio negócio social. Entretanto, a surpresa apareceu quando começaram as buscas por metodologias. “Tinha muita coisa falando sobre a motivação desses empreendedores e a história deles. A gente não encontrava muito a abordagem dos negócios e de como fazer isso”, contou Fabio.

Entre uma conversa e outra, pensaram em deixar um pouco de lado a criação de um empreendimento para preparar um material que atendesse as necessidades desse novo mercado. O projeto consistia em pesquisar quem deu certo e como fez. “Para fazer as características de todo Brasil, a gente precisou levantar esse mapeamento com um negócio de cada Estado”, explicou Serconek.

Com uma ideia na cabeça e um projeto nas mãos, os dois participaram de um fórum mundial de negócios sociais, que aconteceu no Brasil em 2012. Após o evento, entraram em contato e decidiram formar parceria com o Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor (CEATS), da USP. Duas semanas depois, inscreveram-se em um edital de financiamento latino americano, da Rockefeller Foundation.

Contemplados com a iniciativa, em junho deste ano começaram a jornada pelos 27 Estados brasileiros. Até agora já passaram por sete negócios sociais diferentes. Entre eles, alguns como a Justa Trama, em Porto Alegre (RS), que gerencia a cadeia produtiva do algodão do plantio até a confecção, e a empresa catarinense Meritt que promove coleta de informações sobre educação no País e transforma em bases de dados. “Nosso intuito é estimular o empreendedorismo social através da divulgação de modelos de negócios vencedores”. Atualmente, eles estão percorrendo o Nordeste do País.

projeto-Brasil-27
Para definição dos negócios sociais visitados em cada Estado, eles contam com uma metodologia que envolve alguns critérios, como pelo menos 50% de receita obtida com a comercialização de produtos e serviços, mais de um ano de operação formal, isenção de iniciativas de responsabilidade social corporativa e inclusão de pessoas de baixa renda dentro da cadeia de valor do negócio. No entanto, Fábio faz questão de afirmar que a definição do case a ser estudado é feita apenas alguns dias antes de chegar ao local. “A ideia do nosso projeto é ser aberto”. Para isso, contam com sugestões e indicações de negócios de cada local.

Além das pesquisas, o Brasil 27 desenvolve workshops pelas cidades que passa. A atividade é aberta ao público em geral, atraindo desde atuantes na área e até alguns curiosos. Ela serve para levantar informações prévias e orientar o plano de negócios de cada iniciativa. “A ideia é aprofundar o entendimento daquilo que a gente vai estudar no Estado”, explicou Serconek. Para a organização do evento, eles elegem um representante de cada local que colabora com o projeto e encontra um espaço para reunir as pessoas.

A viagem deve seguir até o mês de novembro, quando eles irão começar a reunir as informações que darão origem a um guia com todos os estudos de caso. “Pretendemos disponibilizar todo esse conhecimento de forma gratuita. Queremos incentivar esse setor de negócios sociais a crescer”. Feito isso, o próximo passo será distribuir e divulgar ao máximo esse material em diferentes mídias.

Financiamento coletivo

Para que todos possam acompanhar de perto a trajetória pelos negócios sociais do País, o Projeto Brasil 27 se inscreveu no site de financiamento coletivo Benfeitoria . Eles precisam de 15 mil reais para continuar a filmar toda a viagem e disponibilizar os vídeos em sua página. A colaboração ajuda a cobrir os custos de um profissional com experiência em filmagem e edição. Até agora eles já conseguiram mais de 70% da meta, porém, faltam poucos dias para encerrar o prazo. Os interessados em apoiar o projeto podem fazer contribuições no site.

Serviço:

Site do Projeto: www.projetobrasil27.com.br
Link para campanha do Projeto Brasil 27 no Benfeitoria: http://benfeitoria.com/projetobrasil27


Crédito de texto: Marina Lopes