Cientista que Virou Mãe foi grande vencedor do Social Good Brasil Lab 2015

Idealizadoras do blog Cientista que Virou Mãe foi grande vencedor do Social Good Brasil Lab 2015

Idealizadoras do blog Cientista que Virou Mãe foi grande vencedor do Social Good Brasil Lab 2015
Vencedores do fundo de investimento semente

Neste ano, foram selecionadas 50 práticas para passarem pela formação do Social Good Brasil Lab 2015. Dessas apenas seis foram finalistas e se apresentaram para o público do Seminário Social Good Brasil 2015, que ocorreu nos dias 12 e 13 de novembro, no Centro Integrado de Cultura, em Florianópolis (SC). As apresentações de cada empreendedor foi na tarde do primeiro dia de evento.

O Social Good Brasil Lab é um laboratório que usa tecnologia para impacto social. Durante quatro meses, inovadores de todo o Brasil participam de encontros presenciais e trocas de aprendizados através de um ambiente virtual. Também oferece metodologias inovadoras para sair ideias do papel, como design thinking, starup Enxuta e Business Model Canvas; estímulo ao comportamento inovador e novas formas de pensar seu projeto; encontros presenciais mão na massa; ambiente virtual que permite autonomia do aprendizado; colaboração de parceiros, mentores, desenvolvedores e designers voluntários; relacionamento com rede de aceleradoras e investidores para apresentação dos projetos participantes; apresentação das iniciativas de destaque no Seminário Social Good Brasil para um público de aproximadamente 10 mil pessoas (presenciais e transmissão on-line) e oportunidade de concorrer a um fundo de investimento semente.

Em cinco minutos, cada finalista apresentou sua ideia, o que precisava para justificar a ajuda do fundo de investimento semente e contar com o voto do público, já que no primeiro dia do evento puderam escolher a ideia que acharam melhor. Os finalistas dessa edição foram: Cinthia Rodrigues Grecco, da Quero na escola; Graziella Iacocca, da Massacuca; Marcelo Rebelo de Moraes, do Praças; Rogério Malveira Barreto, do Letra de Médico; Philippe Magno de Albuquerque Figueiredo, do Hands Free; e Ligia Moreira Sena, uma das idealizadoras do blog Cientista que virou mãe. A moderadora foi Bárbara Basso, mestrando em administração e coordenadora do SGB Lab.

A primeira a falar foi Cinthia apresentou a plataforma Quero na Escola, em que conecta estudantes e outras pessoas interessadas em ajudar, seja com aula de violão, ou reforço escolar, ou outro tipo de atividade. Já teve 10 mil visualizações e com mais de 60 pedidos. Seu pedido é expandir a plataforma para abranger mais escolas.

Massa Cuca foi a segunda ideia apresentada por Graziela, que defendeu a importância do brincar a crianças e adultos. Apresentou alguns dados alarmantes: as crianças em geral ficam cinco horas e 35 minutos na frente da TV e oito horas por dia no telefone e tablet. Depois de ouvir o discurso de muitos adultos que não têm tempo de brincar nem criatividade. Dessa forma, ela criou um sistema on-line gratuito com sugestões de atividades fáceis de fazer e brincar para os pais terem mais ideias com suas crianças. A plataforma existe há um ano. São 60 atividades com mais de 303 mil visualizações com fotos e depoimentos. Também sugere eventos em espaços públicos. O investimento seria para elaboração de conteúdo, kits e oficinas.

A terceira ideia foi de Lígia, que criou um blog como um negócio. Nesse canal, mostrou diferentes situações das mulheres, como maternidade, gravidez, amamentação, medicamentos, violência no parto, entre outros. A ideia é criar um sistema de colaboração para desenvolver cada texto, seguindo a proposta de financiamento colaborativo para cada texto e reportagem. Atualmente a página do blog, no Facebook, possui mais de 75 mil curtidas. Acesse aqui para entender melhor a proposta: http://www.cqvm.com.br/

O quinto a apresentar a ideia foi estudante de medicina Rogério, que idealizou as receitas médicas em uma linguagem acessível, prática e inovadora. Desenvolveu uma plataforma, em que o médico preenche um formulário digital em que explica medicamentos, dosagem, horário e dieta, se for necessário, entre outras recomendações.

A última proposta foi Hands Free. Como o próprio nome em inglês diz, possibilita mobilidade e mais independência a pessoas com deficiência. Atualmente são 45,6 milhões de brasileiros possuem deficiência. Philippe explicou que o sistema passa a controlar o som, a televisão, acessar e internet, ligar e desligar a luz. Tudo é possível com o movimento da cabeça. Seu modelo de negócio é buscar patrocínio para aumentar a produção desse sistema e doar a instituições de saúde e que atendem esse público.

No final do segundo dia do evento, foi apresentado o vencedor do fundo de investimento semente. Houveram três vencedores: o primeiro foi Cientista que Virou Mãe, que recebeu 20 mil reais; em segundo o Letra de Médico, com 16 mil reais; e por fim, o Praças, com 13 mil reais. foram mais de dois mil votos para definir o resultado final desta edição do Social Good Brasil Lab.


Confira aqui os conteúdos dos debates no blog do Seminário Social Good Brasil 2015: http://socialgoodbrasil.org.br/postagens/blog

Site da Massa Cuca: www.massacuca.com
Site do Praças: http://www.pracas.com.br/
Plataforma do Cientista que virou mãe: http://www.cqvm.com.br/index.php

Confira aqui cobertura completa.


Data original de publicação: 18/11/2015