julho, 2019

18jul19:30- 21:00Autor angolano Kalaf Epalanga participa de bate-papo na Biblioteca Mário de AndradeKalaf Epalanga bate-papo na Biblioteca Mário de Andrade

Mais

Detalhes do evento

No próximo dia 18 de julho, quinta-feira, a Biblioteca Mário de Andrade recebe o escritor angolano Kalaf Epalanga, autor do romance Também os brancos sabem dançar, publicado em 2018 pela editora Todavia. Epalanga participará de um bate-papo com o DJ e pesquisador da cultura afro-diaspórica Eugênio Lima, em que falará sobre sua estreia na literatura, a carreira como músico na banda de Kuduro, Buraka Som Sistema, imigração, racismo e identidade — ou sobre como tudo isso se relaciona em sua vida e obra.

Gratuita e aberta ao público, a atividade está programada para ter início às 19h30. Tem correalização da Biblioteca Mário de Andrade, editora Todavia e Fundação Tide Setubal, esta por meio de seu Circuito Literário nas Periferias, o Clipe, idealizado para fomentar a produção literária das e nas periferias das cinco regiões de São Paulo (SP).

Comporão a mesa Joselia Aguiar, diretora da Biblioteca Mário de Andrade, e Márcio Black, especialista em Cultura da Fundação Tide Setubal e responsável pelo Clipe. Aguiar apresentará a ‘nova’ Mário de Andrade ao público, enquanto Black falará do calendário da Clipe, que inicia a temporada 2019 neste bate-papo, com diversas parcerias e apoios a projetos já existentes até dezembro.

Para Black, o autor angolano traduz bem os objetivos do Circuito Literário nas Periferias. “Kalaf é uma grande referência para a literatura periférica. Imigrante africano na Europa, ele representa não só a periferia racial, mas também a territorial, e imprime, com elegância e bom humor — até onde é possível, claro —, essa identidade em sua obra. Não poderíamos abrir o Clipe de maneira melhor”, avalia.

Toda a conversa terá transmissão ao vivo, via streaming, no Enfrente, canal da Fundação Tide Setubal no YouTube:

Nascido em Benguela (Angola) em 1978, Kalaf Epalanga vive hoje na Europa, entre as cidades de Lisboa e Berlim. Atualmente, o angolano escreve para as páginas da GQ Portugal, país onde também já assinou crônicas no diário Público. Sua projeção no Velho Mundo se deve antes ao ritmo angolano do Kuduro — que ajudou a popularizar com sua banda Buraka Som Sistema nos anos 2000 — que à literatura.

Também os brancos sabem dançar mescla autobiografia e ficção ao narrar a história de um músico angolano que acaba detido pela imigração quando estava a caminho de um show em Oslo, na Noruega. Epalanga já publicou dois livros de crônicas: Estórias de amor para meninos de cor (2011) e O angolano que comprou Lisboa (por metade do preço) (2014). O autor esteve na 17ª Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP 2019), onde iniciou sua turnê pelo Brasil, passando também pelo Rio de Janeiro e encerrando a visita no bate-papo na Mário de Andrade em São Paulo. Acesse aqui: https://bit.ly/2XMQtD9

Tempo

(Quinta) 19:30 - 21:00

Localização

Biblioteca Mário de Andrade

Rua da Consolação, 94 – República, São Paulo - SP

Organizador

Fundação Tide Setubalfabiana@pbcomunica.com.br R. Jerônimo da Veiga, 164, 13°, São Paulo - SP

X