Estudo sobre conservação de grandes rios do Planeta

Somente um terço dos 246 rios do mundo podem ser considerados um rio de curso livre.

rios-pesquisa-Nature-Reduzida
Artigo da Nature informa o status de conservação de 246 grandes rios de todo o planeta. (crédito da imagem: vbacarin/GettyImage)

Apenas 37% dos rios do mundo não têm prejuízos causados por poluição, hidrelétricas ou estradas; nos últimos 50 anos, os vertebrados que dependem das bacias de água doce reduziram em até 83% e atualmente há cerca de 60 mil hidrelétricas no mundo todo com mais de 3,7 mil planejadas ou em construção aos próximos anos. Esses são alguns dados levantados na pesquisa realizada pelo WWF e de outras instituições publicada na revista científica Nature.

O levantamento envolveu um grupo de 34 cientistas do WWF, da McGill University, do Canadá, e de outras instituições, resultado de um trabalho de compilação e organização de dados e informações que vem sendo feito desde 2015. Foram analisados 12 milhões de rios de todo mundo, mapeando o local e a extensão dos grandes rios de curso livre no mundo.

É importante esclarecer que o rio de curso livre é conhecido por possuir suas funções e seus serviços ecossistêmicos não afetados por mudanças em sua conectividade (exemplo: construção de hidrelétricas ou exploração mineral) e preservação de suas características naturais de vazão, biodiversidade e qualidade da água. Ou seja, são aqueles considerados íntegros e saudáveis.

Foi descoberto que somente 21 dos 91 grandes rios do mundo, com mais de um quilômetro de extensão que vão em direção ao oceano, mantém uma conexão direta de sua nascente até o mar. A maior parte desses rios remanescentes estão em regiões específicas, como o Ártico, a Bacia Amazônica e a Bacia do Congo.

Outro dado levantado foi que cerca de 60 mil hidrelétricas no mundo e mais de 3,7 mil delas estão planejadas, ou em construção. Em geral, elas são planejadas e construídas uma a uma, dificultando a avaliação dos impactos acumulados que elas trazem para uma bacia hidrográfica.

Já o Relatório Planeta Vivo 2018 trouxe que das 16.704 espécies analisadas em todo o mundo os vertebrados que vivem nas bacias de rios de água doce sofreram o mais vertiginoso declínio dos últimos 50 anos, com redução de até 83% de suas populações desde 1970.

Acesse aqui para conhecer outros dados: https://bit.ly/2WHyt8H