Especialista em sustentabilidade, professores e aluno compartilham suas experiências pela causa sustentável no Conecta Escola Senac Ao Vivo

O evento será finalizado hoje com bate-papo do rapper Emicida, professor e alunos do Ensino Médio Técnico do Senac Nações Unidas.

Ilustração de pessoas segurando símbolos de sol folha, mundo, gota d"água e reciclagem.
Este evento valoriza e mostra soluções desenhadas pelos alunos do Ensino Médio Técnico, comprometidos com a transformação da sociedade, o planeta e a vida ao redor. (crédito da imagem: Rawpixel.com/AdobeStock)

Como a escola e as juventudes podem compreender e transformar a vida da sociedade e do planeta? Como a sustentabilidade se dá em diferentes carreiras e como inspirar os estudantes para esse segmento? Essas questões foram abordadas na live Meu Trabalho é Garantir o Futuro do Planeta, do evento Conecta Escola Senac ao Vivo, que começou na terça e irá até amanhã (18/9), promovida pelo Senac São Paulo.

Com o tema Todo Mundo Junto e Misturado, o Conecta Escola Senac ao Vivo pretende reunir pessoas de diversas áreas para integrar seus conhecimentos e experiências em busca de um mundo mais diverso, justo e igualitário. A programação conta com a participação de personalidades, como o cantor Emicida, além de profissionais renomados em diferentes áreas de atuação, que vão conversar com estudantes e professores do Senac sobre cultura, ciência, tecnologia, sustentabilidade, mercado de trabalho e vários outros assuntos.

Na conversa da noite da última terça-feira (15/9), o assunto central foi sustentabilidade e como ele é urgente nos dias de hoje. A administradora Marina Pianucci, consultora de empreendedorismo ambiental em Los Angeles (EUA), especialista em Sustentabilidade, Gestão de Negócios Sustentáveis e Empreendedorismo pela UCLA, falou da sua atuação profissional hoje com planos de sustentabilidade de organizações para lixo zero, em que consiste a destinação correta e reuso dos resíduos para o aterro sanitário. Também desenvolve trabalhos com softwares para análises de rastreamento de todo caminho desses resíduos, além de ter desenvolvido projeto de caracterização de resíduos sólidos do metrô de Los Angeles e um uma agência de fiscalização de aterro sanitário com projetos de administração de resíduos em duas cidades dos Estados de Texas e Califórnia (EUA). “A gente pode fazer melhorias, como o reuso. Uma economia mais circular foca em menos resíduos”, afirma a diretora executiva da ONG Future-in-Today e co-fundadora do projeto Ser-Vindo.

Jorge Henrique Nicareta Rosa, biólogo e pós-graduado em Gestão Ambiental e Ecologia Animal, consultor ambiental e docente no Senac Jabaquara, contextualizou o tema, citou o Programa Ecoeficiência do Senac São Paulo e valorizou a importância da sustentabilidade integral. Ele citou a visão do filósofo Ken Wilber sobre sustentabilidade integral, em que integra todas as áreas da vida e a pessoa precisa se sentir parte do processo. Ele indicou passos importantes para a sustentabilidade: 1º) respeito à diversidade, quanto maior mais ganho, 2º) não marginalizar, respeito a todas considerações, e para isso precisamos ter ambiente adequado e inclusivo, e 3º) abarcante, que inclui vivência, experiência e prática. “Dessa forma, a sustentabilidade integral busca o pensamento integral, considerando o meio ambiente, os processos presentes, a diversidade de interação sem deixar de lado nada e eu tenho que viver para ter experiência e práticas”, afirmou o educador ambiental.

O professor do Ensino Médio Técnico no Senac Sorocaba Hector Barros, mestre em Ensino de Ciências (USP) e em Diversidade Biológica e Conservação pela UFSCar, doutorando no Programa Interunidades em Ensino de Ciências (USP), deu várias dicas junto com os outros participantes do bate-papo. Ressaltou a importância da ciência no movimento de sustentabilidade e essencial no dia a dia das pessoas. Também explicou que o ensino de ciências da natureza é integrado e articulado, feito com planejamento e colaboração entre os diferentes professores. Exemplificou que as práticas de aulas estimulam o aluno a pensar sobre desastres ambientais, tecnologias e instigar ao engajamento deles. “Quando falamos de sustentabilidade, está relacionado com visão de mundo. Não é algo distante, o ser humano está integrado com seu meio. Pensar em alternativas mais sustentáveis disponíveis hoje em dia é muito importante”.

O jovem Juan Santos, aluno do Ensino Médio Técnico em Informática do Senac São Carlos, compartilhou seu projeto sobre descarte correto de lixo eletrônico em sua cidade, ressaltou o acompanhamento e direcionamento dos professores sobre o tema pesquisado. A ideia nasceu quando seus professores pediram para pensar em algo que envolvesse: juventude, tecnologia e sustentabilidade. O grupo de Juan percebeu que sua cidade não tinha opções de descarte para lixo eletrônico. “Nosso projeto é tanto a coleta quanto a destinação desse lixo eletrônico. Entendemos como é prejudicial descartar esse lixo junto com o resíduo comum, ou o reciclado”.

Juan disse que seu grupo está divulgando o projeto e planejando com quem irão falar para destinar corretamente esse lixo em sua cidade. Marina elogiou a ideia e enfatizou a importância da sensibilização dos consumidores desse lixo eletrônico como primeiro passo, mostrando os efeitos deles quando jogados no lixo comum. Também sugeriu organizar as parcerias para quem receberá esse lixo para garantir uma coleta segura, verificar como esses materiais precisam ser separados nos contêineres, sinalização e etiquetas para ajudar o cidadão a colocar o seu lixo lá. A especialista ainda alertou para buscar parceiros com certificados para comprovar que esse lixo não irá para aterro, mas para destino adequado.

Marina também compartilhou os desafios na área, como logística, custo, políticas públicas, dados e informações. Comentou como ainda é complexo convencer as empresas do modelo tradicional para aderirem e reutilizarem seus materiais para se alinharem com uma economia mais circular. “Tudo está relacionado com logística reversa, reuso e economia circular. Não acreditamos no freio do consumo ou eliminá-lo, mas a responsabilidade compartilhada entre o setor público, consumidor e setor privado para fecharem o ciclo”, defendeu.

Para quem tem interesse de refletir sustentabilidade como carreira, os palestrantes deram algumas dicas de documentários e sites. Jorge citou o documentário Minimalismo, do Netflix, em que aborda o ato do consumo, e os sites Hypeness e Pegada Ecológica. Hector falou da Mostra Ecofalante, que vai até 20 de setembro, com uma programação diversa de curtas e longas metragens sobre ativismo, consumo, economia, emergência climática, povos e lugares, tecnologia e trabalho. Marina sugeriu o site Foot Print Calculator e uma série do Netflix chamada Down to Earth com o ator Zac Efron.

Os interessados em conhecer o Ensino Médio Técnico Senac podem acessar o site: http://www1.sp.senac.br/hotsites/sites/ensinomedio/

Para conferir a live na íntegra, clique aqui no Youtube do Senac São Paulo: https://bit.ly/3hLpyg5

Notícia atualizada no dia 21 /09/2020.