Emicida conversa com alunos do Ensino Médio Técnico na última live do Conecta Escola Senac ao Vivo

Estudantes do Ensino Médio Técnico de Informática do Senac questionam sobre juventudes, inspirações, estudos e trabalho ao Emicida.

Imagem com jovens negros e Emicida em live de evento do Senac São Paulo.
Jovens perguntam suas curiosidades a um dos principais rappers do país. (crédito da imagem: divulgação)

Para encerrar a série de lives do Conecta Escola Senac Ao Vivo, o último bate-papo Todo Mundo Junto e Misturado foi com uma das principais referências para juventude, o rapper Emicida. O escritor e empresário idealizador da Laboratório Fantasma respondeu questões de dois alunos do Ensino Médio Técnico em Informática do Senac Nações Unidas, Fernanda de Souza Pinto da Silva e João Luiz Marcelino Ribeiro, com mediação de Thiago Reis, pedagogo e formado em Gestão da Tecnologia da Informação, professor no Ensino Médio Técnico do Senac Nações Unidas e apresentador do talk show #titishow.

Entre os dias 15 e 18 de setembro, o Conecta Escola Senac ao Vivo reuniu diferentes pessoas de diversas áreas para integrar seus conhecimentos e experiências em busca de um mundo mais diverso, justo e igualitário. Com o tema Todo Mundo Junto e Misturado, a programação contou com a participação de personalidades, como o cantor Emicida, além de profissionais renomados em diferentes áreas de atuação, que vão conversar com estudantes e professores do Senac sobre cultura, ciência, tecnologia, sustentabilidade, mercado de trabalho e vários outros assuntos.

A última conversa abordou a importância das juventudes e da educação na transformação da vida das pessoas, compartilhando trajetória do rapper para inspirar jovens de todo país. “Temos uma explosão diferente na juventude e por isso temos que criar com carinho e cuidado, porque ela é extremamente perigosa e se ela for virada para o lado errado pode causar tragédia. Então, é nossa responsabilidade, podemos melhorar essa explosão da curiosidade, da energia, da vontade de ver as coisas nascendo diferentes, para o lado positivo e temos na educação uma boa ferramenta. Ela não começa nem termina na sala de aula”, refletiu Emicida, valorizando a aprendizagem na prática com assuntos distintos no dia a dia.

O artista compartilhou vivências com suas filhas no ensino remoto, suas observações sobre o desafio dos professores hoje no período do isolamento social. Contou que conversa muito com suas filhas e acompanha suas atividades escolares. Também se preocupa sobre a falta de encontro entre as crianças e como impacta no dia a dia. “Essa maneira que estamos vivendo agora é perigosa. Ela alimenta essa sensação de medo, que estamos expostos. Como vai ser amanhã? Será que que escola vai funcionar? Será que terei meu emprego? Pode fechar as pessoas em uma bolha de proteção e blindá-las do mundo real, cristalizando suas convicções. Aqui temos um mapa mundi, vemos e lemos sobre países diferentes para conhecer outras culturas, outros jeitos de pensar.
Estamos tentando atravessar da melhor maneira possível este período”, contou o rapper.

João perguntou sobre a influência de sua mãe para o hábito da leitura. O rapper respondeu que sua mãe sempre foi exemplo em suas atitudes. “Eu fui percebendo como ela se sentia poderosa, mais bonita com mais conhecimento. Eu via as palavras saírem do livro e passarem no vocabulário dela”, compartilhou o rapper com muita admiração e ainda revelou que a acompanhava no curso de auxiliar de enfermagem. Outro ponto destacado pelo artista foi o poder da concentração para auxiliar na leitura e até melhorar a sensação de bem estar.

A jovem Fernanda concordou que essa ‘explosão’ da sua idade ajuda e atrapalha ao mesmo tempo. “Temos vontade de fazer muitas coisas e tudo junto. Eu já vi que se decido fazer tudo junto não vai dar certo. Então, coloco na minha cabeça que vou aos poucos e me organizo”, confessou a aluna.

Quando questionado pelos jovens se já pensou em desistir em momentos difíceis, o empresário refletiu sobre sua atuação: na indústria da música e produção no ambiente cultural. O primeiro é aquele que sustenta mais sua vida familiar. O segundo possui uma reação positiva de inspirar sonhos a outras pessoas. “Há 30 anos algumas pessoas me disseram que eu tinha direito de viver, de ser feliz e colaborar com minha força. Quem me provocou foi Racionais, Dinadi, SP Funk e outros. Há momentos que a nossa energia diminui. Por isso tenho uma coisa: gaveta dos aplausos. Todos deveriam ter uma. Sabe aquele dia incrível, em que você encontrou seu propósito, tira uma foto dele, imprima e coloca nessa gaveta. Quando você receber um elogio, ou quando alguém está fazendo algo incrível escreva e coloca lá. Ela te ajuda a mostrar quem você é”.

Fernanda perguntou se algo mudou após ter duas filhas mulheres. Emicida comentou que existe uma pesquisa mostrando homens com filhas mulheres tendem a fazer reflexões e questionamentos não feito antes de serem pais. “Elas me provocam e brincam comigo, também acompanho o desenvolvimento delas e entendo melhor quando o homem vira problema. Estamos em um mundo desesperador para elas, que têm medo de sair nas ruas. Eu trabalho justamente para aprender, me educar e ser minha melhor versão, sem medo nem agressividade”.

João questionou sobre quem são as referências ao compositor e como influencia suas filhas. O rapper respondeu que compartilha suas referências sem imposição. Ele tem uma biblioteca com grande diversidade de títulos e elas ficam super à vontade para pegar o que querem e até deixar alguns livros de lado, mas sempre têm contato com eles. “Enquanto sociedade, a gente oferece muitas coisas ligadas à estética, consumo, que na verdade empobrece o planeta e também a nós. Aqui em casa valorizamos a riqueza da leitura. Claro, eu curto ter um tênis legal, mas muito mais legal saber quem eu sou, o tamanho do mundo, saber o significado da minha existência e quem veio antes disso. E o que é tênis perto disso?”

A última parte da live contou com a participação especial de Audino Vilão, graduando em História e criado do canal Audino Vilão no Youtube, em que fala em uma linguagem simples com gírias sobre filósofos, que também conversou com os jovens e o rapper.

Os interessados em conhecer o Ensino Médio Técnico Senac podem acessar o site: http://www1.sp.senac.br/hotsites/sites/ensinomedio/

Para assistir a última live na íntegra, clique aqui no link do Youtube do Senac São Paulo: https://www.youtube.com/watch?v=fQOQNjEGiHY&t=1117s