Em campanha de financiamento coletivo, revista de espaços públicos no Brasil pretende lançar edição sobre agricultura e meio ambiente

12806Artes, política, vida cotidiana, boas histórias, ensaios críticos, jornalismo literário, proposições e práticas espaciais. Esses são os enfoques da publicação semestral, produzida em Belo Horizonte (MG), que discute em seus conteúdos as relações das cidades com o meio ambiente, a forma como o cidadão convive e se relaciona. Desde o final de outubro, a equipe da Piseagrama lançou campanha de financiamento colaborativo no Catarse, que pretende funcionar como uma assinatura aos próximos números da revista.

“A reflexão sobre o espaço público costuma ficar restrita às ciências sociais, ao urbanismo e às reclamações cidadãs nos cadernos sobre cidades dos jornais locais, o que talvez diga algo sobre a falta de imaginação com que são produzidas e geridas as cidades no Brasil”, afirmam os editores em sua página no Catarse, plataforma de financiamento colaborativo.

A ideia é que o apoiador se torna assinante, recebendo as duas próximas edições em casa com 20% de desconto. “Foi a maneira que encontramos não só para viabilizar a revista, mas também para consolidar uma rede de leitores que garantam nossa existência a médio prazo”, explica Fernanda Regaldo, também editora. Muito mais do que recursos, a campanha no Catarse gera o público necessário para que a publicação aconteça e possa seguir adiante.

As novas edições de Piseagrama terão tiragem de 3.000 exemplares. A revista passará a ter o dobro de páginas e um design diferente. “Estamos procurando nos aproximar de um formato de dossiê. Um dossiê temático”, explica Roberto Andrés, referindo-se à possibilidade de publicar mais conteúdo e artigos e ensaios mais aprofundados. Os editores prometem também um novo site, totalmente reestruturado e com conteúdo online gratuito.

12805Os editores garantem que a publicação continuará a realizar e promover ações em torno de questões de interesse público como debates, micro-experimentos urbanísticos, oficinas, loja itinerante e publicação de livros. A campanha de interesse público, lançada por Piseagrama em 2012, é uma ação que vem mobilizando muita gente em torno de propostas para cidades melhores, estampadas em bolsas, camisetas, adesivos que também são recompensas no Catarse.

A revista já publicou artigos de colaboradores como o co-fundador da revista Wired Kevin Kelly, a jornalista e colunista da Folha de São Paulo, Vanessa Barbara; o economista, Ladislau Dowbor; o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro; o ex-prefeito de Bogotá (Colômbia), Enrique Peñalosa; procurador da República Felício Pontes Júnior.

Origem

Nascida em 2011, Piseagrama já circulou por todo o Brasil em versão impressa e on-line com apoio do Ministério da Cultura. Os números anteriores abordaram os temas acesso, progresso, recreio, vizinhança, descarte. O sexto número, que acaba de ser lançado, é sobre cultivo. O número traz ensaios sobre a história ambiental do Brasil, tradições e rituais indígenas ligados à agricultura, o plantio da soja e sua relação com o desmatamento e até classificados agroecológicos.

Serviço:

Para ajudar a campanha, acesse: catarse.me/piseagrama
Revista: www.piseagrama.org