Edital contempla projetos de direitos humanos a mulheres e LGBTQIA+

A chamada integra a campanha que promove reflexões sobre respeito, violências ligadas a gênero, eventos e debates ao longo de 2021.

 

Banner com foto de mulher negra e texto lateral direito: Eu Sou Respeito>
Os projetos podem se desenvolver nas seguintes categorias: defesa de direitos e acesso à justiça; educação em direitos humanos; memória e liberdade de expressão; e artes.

Eu Sou Respeito é uma campanha promovida pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão/RS, do Ministério Público Federal, em parceria com os Cursos de Comunicação do Centro Universitário Metodista IPA, realizada com a verba proveniente do acordo gerado pelo encerramento antecipado da exposição Queermuseu: Cartografia da Diferença na Arte Brasileira, no ano de 2017.

A campanha pretende promover reflexões sobre o respeito, sobre as violências ligadas ao gênero, a intolerância, os preconceitos, o racismo e os discursos de ódio. Serão desenvolvidas ações, eventos e debates ao longo de 2021. A primeira ação é o lançamento do edital que contemplará projetos de instituições, organizações e movimentos que lutam pelos direitos humanos, em especial mulheres e LGBTQIA+. As iniciativas precisam ser realizadas no Rio Grande do Sul. As inscrições vão até 05 de março.

O edital contemplará projetos no valor máximo de R$40.000,00 destinado a ações desenvolvidas por ONGs, escolas, universidades, museus, instituições, organizações e movimentos sociais em 2021, nas áreas LGBTQIA+ e mulheres.

A ideia do edital está relacionada a uma polêmica que marcou o ano de 2017 na capital gaúcha. Em setembro daquele ano, a exposição “Queermuseu: Cartografias da Diferença da Arte Brasileira” foi fechada às pressas de forma arbitrária pelo Santander Cultural como uma resposta a críticas de grupos que viram nas obras apologia à pedofilia, zoofilia e ofensas a símbolos religiosos.

Diante do ocorrido, após muito diálogo com o MPF, o Santander Cultural precisou devolver uma parte da verba federal que lhe havia sido concedida. Agora, essa verba poderá ser utilizada na criação de outros projetos a partir do edital que foi lançado. Segundo o Procurador Regional dos Direitos do Cidadão, a ideia era fazer um edital de projetos relacionados à temática da mostra original que foi fechada, construindo algo que fosse um movimento de memória do que ocorreu.

Acesse aqui o edital completo no site IPA Metodista: https://bit.ly/3pQIsWR