Edital a lideranças negras

Em sua segunda edição, Fundação Tide Setubal lança edital a iniciativas de organizações sem fins lucrativos e coletivos nas periferias de São Paulo.

Edital-Elas-Perifericas-Reduzida
A ideia central desta chamada é fortalecer ações de mulheres negras periféricas na cidade de São Paulo e impactar seus territórios. (crédito da imagem: divulgação)

Organizações e grupos com mulheres negras em cargos de liderança podem se inscrever no edital Elas Periféricas – 2ª edição. A iniciativa da Fundação Tide Setubal é destinada a práticas de organizações sem fins lucrativos (associações em suas diversas denominações, tais como ONGs e OSCs) e coletivos, formalizadas ou não, atuantes em diferentes territórios periféricos do município de São Paulo. As inscrições vão até 16 de junho.

O objetivo principal desta chamada é fortalecer ações de mulheres negras periféricas na cidade de São Paulo, bem como os territórios periféricos em que elas estão inseridas. A fundação acredita que a força da transformação social está junto com elas.

Os requisitos para inscrição neste edital são: ter mulheres negras em seu quadro de lideranças; ter origem e atuação em territórios periféricos da cidade de São Paulo; não ter finalidade lucrativa e ser uma iniciativa diretamente administrada e executada pela proponente. Não serão contempladas neste edital organizações que: tenham a participação de pessoas diretamente envolvidas na organização, avaliação e execução deste edital, bem como funcionários, colaboradores ou familiares da Fundação Tide Setubal; e já recebem algum apoio da Fundação Tide Setubal ou Fundo Zona Leste Sustentável.

Além do investimento financeiro, a chamada oferece apoio técnico e mentoria para até seis iniciativas selecionadas. O aporte financeiro para cada selecionada será no valor de até R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), com recursos oriundos da Fundação Tide Setubal. O apoio técnico e mentoria visam a capacitação das lideranças e gestores de cada iniciativa selecionada, como também fortalecer a organização (formalizada ou não), por meio do aprimoramento de ferramentas de gestão financeira, mobilização de recursos, gestão e monitoramento de projetos, comunicação institucional, planejamento estratégico e atuação em rede, para que cumpram as suas finalidades de atuação promovendo, direta ou indiretamente, a justiça social e o desenvolvimento sustentável nas comunidades.

Acesse aqui: https://bit.ly/2EC2ccc

COMPARTILHAR