Dorina Nowill é homenageada no Doodle do Google

Hoje a ativista e defensora da inclusão completaria 100 anos de idade.

doodle-dorina-nowill-Reduzido
A ONG que leva seu nome atua na produção e distribuição gratuita de livros acessíveis. (crédito da imagem: divulgação/Google)

Com o slogan A mulher que enxergava o mundo com os olhos da alma, a Fundação Dorina Nowill conta a trajetória de 100 anos de uma das principais defensoras da inclusão de pessoas com deficiência. A pedagoga é conhecida por sua luta na inclusão de pessoas com deficiência visual no Brasil e no mundo. Ela faleceu em 2010 com 91 anos de idade e a organização que leva seu nome é conhecida por produzir e distribuir gratuitamente livros acessíveis para esse público: https://www.fundacaodorina.org.br/

Ela ficou cega com 17 anos, vítima de doença não identificada. Foi a primeira aluna cega a frequentar um curso regular na Escola Normal Caetano de Campos em São Paulo. Ajudou na elaboração de lei de integração escolar, regulamentada em 1956.

Pela baixa produção literária adaptada para pessoas com deficiência visual, criou a Fundação para o Livro do Cego no Brasil e contribuiu diretamente nesse segmento. Dorina se especializou em educação de cegos no Teacher´s College da Universidade de Columbia, em New York (EUA). Naquela ocasião, participou de uma reunião com a Diretoria da Kellog’s Foundation, onde expôs o problema da falta de livros em braile para cegos brasileiros e a necessidade de se conseguir uma imprensa braile para a Fundação que havia criado no Brasil. Em 1948, a Fundação para o Livro do Cego no Brasil recebeu, da Kellog’s Foundation e da American Foundation for Overseas Blind, uma imprensa braile completa, com maquinários, papel e outros materiais.

Dorina também foi presidente do Conselho Mundial para o Bem-Estar dos Cegos, hoje a União Mundial de Cegos, e recebeu vários prêmios e medalhas nacionais e internacionais ao longo de suas mais de seis décadas de trabalho à frente da fundação. Em 2004, Dorina também inspirou Maurício de Sousa para criar a personagem chamada Dorinha.

Acesse aqui para conhecer a trajetória da pedagoga e ativista: https://bit.ly/2EHf4hk

COMPARTILHAR