Documentário explica tecnologia para purificar água suja e contaminada

Para celebrar o Dia Mundial da Água (22 de março), a Procter & Gamble lança documentário junto com a National Geographic chamado Desafiando o Futuro: a Transformação da Água no dia 22 de março, em que mostra histórias de famílias latino-americanas que participam do programa Água Pura para Crianças, uma iniciativa que leva água potável para comunidades que necessitam desse recurso vital. Atualmente 17% da população mundial ainda não tem acesso à água potável.

Na última quarta-feira, houve uma sessão fechada do documentário no Cine Belas Artes, em São Paulo. Antes de passar ao público, o vídeo, o embaixador do programa, o apresentador Rodrigo Faro, mostrou como o sachê do Purificador de Água P&G consegue tratar 10 litros de água contaminada. Primeiro, é necessário cinco minutos mexendo para a mesma direção. Quando para de movimentar, a sujeira entra num processo de coagulação, depois de floculação. Após essa etapa, essa água precisa ser filtrada, pode ser feita por uma camiseta, ou um pedaço de tecido limpo, para outro balde limpa. Precisa ainda aguardar mais um pouco para terminar o processo de desinfecção.

Esse processo leva no total 30 minutos e é fácil de fazer em regiões precárias, já que utiliza balde, colher, tecido de algodão e um pequeno sachê. A quantidade de água purificada com cada sachê (10 litros) consegue atender uma família de cinco pessoas durante um dia, por exemplo.

O documentário retrata a quantidade de pessoas ao redor do mundo que não possuem água potável. Mais de um bilhão de pessoas no mundo não possuem esse recurso. Traz entrevistas e comunidades de países como Panamá, Costa Rica, Argentina e Brasil. Foram entrevistadas lideranças comunitárias, público atendido e beneficiado com o produto e até o cientista que criou a solução em pó do sachê, que funciona como uma pequena estação de tratamento de água e transforma a água suja e contaminada em limpa e pronta para beber.

A produção também apresenta como esse recurso contribui nessas regiões, como melhorou a qualidade de vida dessas populações, reduziram os casos de doenças frequentes (diarreia, desnutrição, por exemplo), as distâncias que os voluntários dos projetos sociais regionais precisam percorrer para levar os sachês a mais pessoas. “As crianças sempre beberam a água do rio”, afirmou um dos voluntários na região de Chaco, na Argentina, sobre o contato das crianças com a água contaminada. Já na Costa Rica, mostrou o caso da contaminação da água pelo metal arsênico, porque lá é uma zona vulcânica. 7% da população deste país toma água com arsênico, e as crianças e idosos são as principais vítimas. Nas comunidades ribeirinhas de Manaus (AM), os voluntários levam mais de seis horas de barco para chegar até esses povos.

Para atingir o maior número de pessoas, a empresa optou por realizar parcerias com governos locais e organizações sociais. Essa iniciativa ocorre com parcerias com mais de 150 organizações reconhecidas em cada país, como ONGs e entidades governamentais, que ajudam a distribuir os sachês em 85 países. Em 2004, quando o programa foi criado, a P&G e parceiros globais ajudaram a transformar 11 bilhões de litros de água suja em água limpa no mundo, sendo que 550 milhões de litros beneficiaram famílias de 16 países da América Latina. A meta é entregar 15 bilhões de litros de água potável em todo o mundo até 2020.

Serviço:

Os interessados podem conferir o documentário na íntegra no dia 22 de março de 2017, às 19h40, no canal National Geographic. Outros dias serão: 23 de março (quinta), às 00h20; e 30 de março, às 14h55.

Site: http://www.pg.com/pt_BR/


Texto Susana Sarmiento com informações da P&G
Data original de publicação: 17/03/2017