Costureiras de Paraisópolis confeccionam máscaras para comunidades

Instituto ELA promove campanha de arrecadação de recursos para essa produção no combate a Covid-19 em uma das principais comunidades de São Paulo.

 

Foto de mulher costurando roupa.
Reynaldo G. LopesAlém do projeto “Costurando Sonhos”, o Instituto está envolvido em outras três iniciativas, todas ligadas a mulheres. (crédito da imagem: Reynaldo G. Lopes/ADobeStock)

Instituto Ela apoia iniciativa Costurando Sonhos que está confeccionando cinco mil máscaras de tecidos para distribuir aos moradores de Paraisópolis e outras comunidades periféricas de São Paulo. Para atingir a meta, a organização lança campanha de arrecadação de recursos para compra de tecidos, materiais necessários e pagar a mão-de-obra envolvida (costureiras da região) para distribuir a mil famílias. A meta é alcançar R$ 50 mil.

Criado para empoderar mulheres educadoras, Instituto Ela – Educadoras do Brasil acredita no investimento na educação a todas. A organização foi fundada por um grupo de educadoras e interessadas em inspirar outras mulheres que educam – seja formalmente, nas escolas, ou informalmente no dia a dia de suas comunidades e famílias. A missão é: “formar, fortalecer e empoderar mulheres educadoras para que possam multiplicar conhecimentos, construir pontes e liderar projetos de transformação social”.

Sandra Regina Rezende Garcia, vice-presidente do Instituto, explicou que o Instituto foi idealizado ano passado e a o lançamento ocorreria em março deste ano, mas foi cancelado por conta do avanço da pandemia e isolamento social. Dessa forma, a equipe do Instituto decidiu apoiar o projeto Costurando Sonhos, são oficinas de formação para costura a mulheres da região e fazem trabalho de costura para clientes externos da comunidade; e Mãos de Maria, um grupo de mulheres que fazem marmitas e entregam comida. As duas iniciativas apoiadas são de geração de renda.

“A ideia central nessa campanha é que as costureiras de Paraisópolis tenham mais estrutura para serem mais multiplicadoras e a produção delas possa atender outras comunidades de São Paulo”, esclarece Sandra. A vice-presidente do Instituto Elas explica ainda que a ideia neste momento é contribuir com a experiência de educação para a ação social e apoiar ações já existentes. “Este é um momento também de quem têm recursos exercerem o lado da solidariedade”.

Acesse e contribua com a campanha para ajudar Costurando Sonhos: https://bit.ly/3eEnO8a

Visite aqui no site do Instituto Ela: http://www.institutoela.org.br/