Como é viver em São Paulo?

Pesquisa aborda nível de satisfação em relação à qualidade de vida na cidade, além da confiança nas instituições e participação política da população paulista.

Ilustração de jovem à direita e ela mostra seguinte dado:57% da população paulistana não participa da vida política no município. No canto esquerdo logos da Rede Nossa São Paulo e Ibope Inteligência.
64% das pessoas que moram em São Paulo informaram que se pudessem sairiam da cidade. (crédito da imagem: divulgação)

Pesquisa Viver em São Paulo: Qualidade de Vida integra a série Viver em São Paulo, iniciada em 2018, produzida pela Rede Nossa São Paulo em parceria como Ibope Inteligência, e mostra como está o paulistano em relação à sua qualidade de vida. O nível de satisfação sobre a qualidade de vida na cidade, similar ao ano anterior, foi de 6,5 – em 2018 era 6,3.

Nessa edição, alguns itens avaliados foram: qualidade de vida e bem-estar; o que sente a população paulistana; confiança nas instituições e avaliação administrativa; e participação política e características que prefeitos e vereadores devem ter.

Há uma tendência de crescimento no percentual que declara melhora na própria qualidade de vida nos últimos 12 meses. Para 10% piorou muito; para 18% piorou um pouco; para 41% ficou estável; para 22% melhorou um pouco; e para 9% melhorou muito.

O que sente a população paulistana? 38% declaram sentir muito orgulho e 41% pouco. Já 20% afirma não sentir orgulho de morar na capital paulista. Apesar de sentirem orgulho de morar em São Paulo, a proporção de pessoas que, se pudessem, sairiam da cidade se mantém estável desde 2017, 64% afirmam que sairiam, enquanto 36% não sairiam.

Já as oportunidades, lazer/ entretenimento e mercado de trabalho são como os aspectos considerados mais positivos da cidade, com 16%, 14% e 11% das menções, respectivamente. Seguidas de gastronomia com 10% das menções; diversidade de serviços com 8%; acesso à cultura com 7%; agitação/correria com 6%; e acesso a bens e serviços, diversidade de pessoas e acesso a serviços de saúde com 5% cada.

Esperança é o principal sentimento relacionado à cidade de São Paulo, citado por 3 em cada 10 pessoas entrevistadas. Em seguida, gratidão (19%); decepção (17%); e frustração (16%).

A maioria relativa afirma gostar muito do bairro onde vive (46%), apesar de ¼ da população paulistana declara não gostar. São pessoas moradoras do centro e da região leste que mais afirmam gostar do bairro onde moram, 54% e 50% respectivamente.

A pesquisa aponta ainda que 57% da população paulistana não participa da vida política no município. Mas 21% assinam petições ou abaixo-assinados; 16% compartilham notícias sobre o município pelas redes sociais; 13% compartilham notícias sobre o município por aplicativos de mensagens; e 9% participam de manifestações, protestos ou passeatas de rua.

Para a população paulistana, conhecer bem os problemas da cidade e ter visão de futuro são as principais características que um prefeito deve ter – 63% e 55% respectivamente. Em seguida, as características mais citadas são ter experiência administrativa (39%) e saber trabalhar em equipe (39% cada); ser trabalhador (38%); entender de economia e finanças (36%); e ter pulso firme (34%).

Já um vereador deve conhecer bem os problemas da região onde a pessoa entrevistada mora e ter visão de futuro são as principais características que um vereador dever ter – 49% e 43% das menções respectivamente.

Acesse aqui a pesquisa resumida: https://bit.ly/2Gx2QbC
Clique aqui para o site da Rede Nossa São Paulo: https://www.nossasaopaulo.org.br/