De Olho nos Ruralistas lança site para mostrar impactos sociais e ambientais

de_olho_nos_ruralistas_capa_faceEstá no ar o site do De Olho nos Ruralistas, um observatório sobre o agronegócio no Brasil. Ele pode ser acessado neste link: www.deolhonosruralistas.com.br

A ênfase é na observação dos impactos sociais e ambientais desse modelo de apropriação da terra e dos recursos naturais. Com atenção à movimentação política e econômica do setor – que costuma ter uma cobertura simpática na imprensa tradicional.

O site se divide em alguns temas: De Olho na Comida, De Olho no Ambiente, De Olho nos Conflitos, De Olho no Agronegócio. Aqueles que fizeram doações a partir de determinado valor recebem também boletins diários sobre cada um desses temas.

De Olho TV será um programa quinzenal de WebTV, a cada quinzena com um entrevistado. Durante a campanha de financiamento foram feitos dois programas-piloto, com a professora Larissa Bombardi, da USP, e a nutricionista Ana Paula Bortoletto, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

A redação é pilotada pelo jornalista Alceu Castilho, autor do livro Partido da Terra – como os políticos conquistam o território brasileiro (Contexto, 2012). A ideia do projeto surgiu em 2013, durante a realização de um ciclo de debates sobre o livro.

A equipe é a mesma do Outras Palavras, em um trabalho de sinergia – cada vez mais necessário na imprensa contra-hegemônica, ou alternativa. Cauê Ameni é o subeditor. Inês Castilho, repórter. Gabriela Leite, editora audiovisual. Simone Hernández, subeditora audiovisual. O Outras Palavras é coordenado pelo jornalista Antonio Martins.

As transmissões do programa serão feitas pela TVDrone, outra parceira do projeto, sob a orientação de André Takahashi. Ele também é coordenador de projetos do De Olho nos Ruralistas, responsável pelo contato com parceiros.

O projeto foi possibilitado por uma campanha de financiamento coletivo, que teve mais de 600 doadores. A meta é de ampliação do projeto, mas com prioridade para esse tipo de financiamento.

*Esta notícia foi retirada do site da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong):www.abong.org.br


Texto: Redação da Abong
Data de publicação: 12/09/2016