Coletivos de arte falam de suas experiências nos bairros da zona leste de SP

Integrantes de grupos culturais e ativistas compartilham suas experiências de formação sociocultural nos territórios da zona leste da capital paulista.

nota-pre-evento-gestao-projetos-sociais-territorios-Reduzida
Evento abordará visões de especialistas e ativistas de coletivos sobre ocupação do espaço público. (crédito da imagem: divulgação)

Há 12 anos na região de São Miguel Paulista o coletivo Arte e Cultura na Kebrada oferece atividades multiculturais. O último domingo do mês o grupo costuma reunir diversos coletivos para grafitar, promover rodas de break e hip hop, saraus e tendas de apresentações artísticas. Cada quarteirão tem uma cor com programação específica. Um dos integrantes vai apresentar o trabalho desse grupo na próxima quarta-feira no encontro Gestão de Projetos Sociais no Território no próximo dia 07 novembro no Senac São Miguel Paulista na zona leste de São Paulo.

Em geral, esses encontros discutem o dia a dia da periferia da zona leste nas atividades que vão de slam, batalha de poesia, apresentação de MCs com hip hop e grafitti. Emanuel da Silva Reis, mais conhecido Manulo Sauro, técnico em desenho de comunicação, grafiteiro há 27 anos e oficineiro, apresentará o trabalho do coletivo. Emanuel faz arte de rua desde 1985 e ministra oficinas de graffiti. Ingressou no Hip Hop: Mundo Alternativo da Rima e coordenou o Fórum Hip Hop na Casa de Cultura.

A ideia do evento é dialogar o tema Violência, Resistência e Direitos à Cidade – escutando vozes e práticas da periferia. Será organizado em duas partes. No primeiro, abordará o direito à cidade em suas diferentes manifestações e contradições, buscando refletir sobre a ocupação dos espaços como forma de resistência à violência. No segundo momento, os convidados compartilharão iniciativas que emergem nos territórios e criam espaços de mobilização e participação nas periferias, articulando de forma criativa a vida que ocupa a cidade.

A expectativa de Manulo é mostrar as impressões do coletivo nesses bairros e como está a cultura da periferia na zona leste de São Paulo. “Queremos trocar, falar um pouco do nosso trabalho, mas também compartilhar informações importantes da área social e cultural”.

Os interessados podem se inscrever aqui: https://goo.gl/zidYXB

Confira a programação:
13h30 – Credenciamento
14 horas – Abertura
14h15 – Mesa 1: Repensando o Direito à Cidade
Como proposta para a abordagem nessa mesa, dois painelistas trazem visões complementares. Uma focada na problematização do direito à cidade, evidenciando as forças, contradições, formas sobre como perceber as cidades e a invisibilidade das políticas públicas. Outra compartilhando iniciativa de construção de diálogo na periferia de São Paulo, que busca atuar com foco no desenvolvimento de possibilidades criativas no território.
Convidados: Emanuel da Silva Reis e Kazuo Nakano.
Emanuel da Silva Reis – Faz arte de rua desde 1985 e realiza trabalhos e oficinas de graffiti. Ingressou na Hip Hop: Mundo Alternativo da Rima. Coordenou o Fórum de Hip Hop na Casa de Cultura. Iniciou o projeto Arte e Cultura na Kebrada. Possui formação técnica em Desenho de Comunicação e graduação em Artes Plásticas.
Roberto Galassi Amaral – Responsável pela coordenação dos cursos de pós-graduação da área de Desenvolvimento Social do Senac São Paulo. Doutor em Serviço Social pela Unesp, mestre em Administração pela PUC-SP, especialização em Administração de Recursos Humanos e graduação em Administração de Empresas pela Universidade São Judas Tadeu.
Mediador: Roberto Galassi Amaral.
15h45 – Mesa 2: A Vida Ocupando a Cidade
Como proposta, três convidados compartilham iniciativas focalizadas no olhar sobre o território das periferias como espaços de articulação, participação e construção do conhecimento. A ideia é evidenciar a vida, ocupando as periferias da cidade.
Convidados: Roger Itokazu, Susana Sarmiento e Luciano Carvalho.
Roger Itokazu – Psicólogo, especialista em saúde pública pela USP, mestre em Psicologia Social pela PUCSP. Membro do Nexin e pesquisador no projeto Pipeq, ambos na PUCSP. Atua como Educador Popular em movimentos de cursinhos populares, e está como professor na área de Desenvolvimento Social, no Senac Aclimação.
Susana Sarmiento – Jornalista e editora do Portal Setor3, veículo do Senac São Paulo voltado a questões de desenvolvimento sustentável, desde 2004. Já trabalhou na redação da revista Sem Fronteiras, colaborou para a organização Viração, com produção de conteúdo junto com os jovens, atos de mobilização social, participação de reuniões de pauta e outras ações em prol da divulgação e articulação do projeto.
Luciano Carvalho – Diretor e ator. Membro fundador do Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes. Ativista cultural e militante de movimentos sociais. Graduado em jornalismo, pós-graduado em educação e agroecologia (USP) e mestrando em desenvolvimento territorial da América Latina e Caribe (Unesp).
Mediador: Pedro Pontual – Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1976). Mestrado em Educação pela PUC-SP (1995) e Doutorado em Educação pela PUC-SP (2000). Atualmente é consultor nas áreas de educação popular, participação social, e gestão de projetos sociais.
17h15 – Síntese do evento
17h30 – Encerramento