Coletivo Dolores participa de encontro no Senac São Miguel Paulista

No próximo dia 07/11, especialistas e ativistas se reúnem para falar de ocupação do espaço público no Senac São Miguel Paulista.

noticia-pre-evento-gestao-de-projetos-territoriaisReduzida
Coletivo Dolores Boca Aberta une teatro, música e poesia. (crédito da imagem: divulgação)

“Espero que seja um encontro de troca de experiências e aprofundar debate sobre uso do espaço da cidade num momento delicado, em que os movimentos sociais e ativistas estão sendo contestados. Esses grupos estão sendo alvos de falas agressivas e violentas. Espero que possamos trazer luz e elementos para combater o preconceito”, afirma Luciano Machado, do Coletivo Dolores Boca Aberta, um dos participantes do encontro Gestão de Projetos Sociais no Território no próximo dia 07 novembro no Senac São Miguel Paulista na zona leste de São Paulo.

A ideia do evento é dialogar o tema Violência, Resistência e Direitos à Cidade – escutando vozes e práticas da periferia. Será organizado em duas partes. No primeiro, abordará o direito à cidade em suas diferentes manifestações e contradições, buscando refletir sobre a ocupação dos espaços como forma de resistência à violência. No segundo momento, os convidados compartilharão iniciativas que emergem nos territórios e criam espaços de mobilização e participação nas periferias, articulando de forma criativa a vida que ocupa a cidade.

O coletivo Dolores Boca Aberta será apresentado no segundo painel e o grupo teatral surgiu em 2000 que dialoga com os espaços que ocupa. Apresenta seus espetáculos em lugares diferentes, como teatros municipais, Centros Educacionais Unificados da Prefeitura de São Paulo, pátios internos ao ar livre, unidades do Sesc, prédios ocupados pelo Movimento de Trabalhadores Sem Teto, assentamentos rurais e manifestações de rua.

“Não tomamos o território como algo privado, mas como ação pública”, define Luciano, diretor e ator e membro fundador do Coletivo. O ativista explica o trabalho do grupo que une teatro, música e poesia. “Não desvinculamos ação política e comunitária. Nós fazemos em diversas frentes a cultura”, afirma.

Os interessados podem se inscrever aqui: https://goo.gl/zidYXB

Confira a programação:
13h30 – Credenciamento
14 horas – Abertura
14h15 – Mesa 1: Repensando o Direito à Cidade
Como proposta para a abordagem nessa mesa, dois painelistas trazem visões complementares. Uma focada na problematização do direito à cidade, evidenciando as forças, contradições, formas sobre como perceber as cidades e a invisibilidade das políticas públicas. Outra compartilhando iniciativa de construção de diálogo na periferia de São Paulo, que busca atuar com foco no desenvolvimento de possibilidades criativas no território.
Convidados: Emanuel da Silva Reis e Kazuo Nakano.
Emanuel da Silva Reis – Faz arte de rua desde 1985 e realiza trabalhos e oficinas de graffiti. Ingressou na Hip Hop: Mundo Alternativo da Rima. Coordenou o Fórum de Hip Hop na Casa de Cultura. Iniciou o projeto Arte e Cultura na Kebrada. Possui formação técnica em Desenho de Comunicação e graduação em Artes Plásticas.
Roberto Galassi Amaral – Responsável pela coordenação dos cursos de pós-graduação da área de Desenvolvimento Social do Senac São Paulo. Doutor em Serviço Social pela Unesp, mestre em Administração pela PUC-SP, especialização em Administração de Recursos Humanos e graduação em Administração de Empresas pela Universidade São Judas Tadeu.
Mediador: Roberto Galassi Amaral.

15h45 – Mesa 2: A Vida Ocupando a Cidade
Como proposta, três convidados compartilham iniciativas focalizadas no olhar sobre o território das periferias como espaços de articulação, participação e construção do conhecimento. A ideia é evidenciar a vida, ocupando as periferias da cidade.
Convidados: Roger Itokazu, Susana Sarmiento e Luciano Carvalho.
Roger Itokazu – Psicólogo, especialista em saúde pública pela USP, mestre em Psicologia Social pela PUCSP. Membro do Nexin e pesquisador no projeto Pipeq, ambos na PUCSP. Atua como Educador Popular em movimentos de cursinhos populares, e está como professor na área de Desenvolvimento Social, no Senac Aclimação.
Susana Sarmiento – Jornalista e editora do Portal Setor3, veículo do Senac São Paulo voltado a questões de desenvolvimento sustentável, desde 2004. Já trabalhou na redação da revista Sem Fronteiras, colaborou para a organização Viração, com produção de conteúdo junto com os jovens, atos de mobilização social, participação de reuniões de pauta e outras ações em prol da divulgação e articulação do projeto.
Luciano Carvalho – Diretor e ator. Membro fundador do Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes. Ativista cultural e militante de movimentos sociais. Graduado em jornalismo, pós-graduado em educação e agroecologia (USP) e mestrando em desenvolvimento territorial da América Latina e Caribe (Unesp).
Mediador: Pedro Pontual – Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1976). Mestrado em Educação pela PUC-SP (1995) e Doutorado em Educação pela PUC-SP (2000). Atualmente é consultor nas áreas de educação popular, participação social, e gestão de projetos sociais.

17h15 – Síntese do evento
17h30 – Encerramento