Cineasta produz documentário em realidade virtual sobre o desastre de Mariana

Cineasta Tadeu Jungle
Cineasta Tadeu Jungle

No dia 18 de outubro, às 14h, começou a Semana Estado de Jornalismo, encontro tradicionalmente promovido pelo Estadão todos os anos. O evento trouxe como tema “Grandes reportagens – quando o jornalismo vira uma maratona”. No primeiro dia, o jornalista Paulo Henrique Lobato, do Estado de Minas, e o cineasta Tadeu Jungle, discutiram “Meio Ambiente em perigo: O desastre de Mariana”.

Em 5 de novembro de 2016, completa-se um ano do maior desastre ambiental da história do Brasil. Há cerca de 11 meses atrás, em Mariana, Minas Gerais, o rompimento da barragem de rejeitos da Samarco levou uma enxurrada de lama ao município de Bento Rodrigues, deixando assim um rastro de destruição por onde passou, dezenas de mortos e vários desabrigados.

O jornal Estado de Minas mobilizou toda sua equipe para trabalhar na cobertura do caso, e financiou para que alguns jornalistas fossem até as regiões afetadas para entender como anda a vida dos moradores locais. “Nós não tínhamos noção do tamanho da fatalidade. As informações estavam muito desencontradas. Quando nós vimos a proporção do que tinha acontecido, decidimos que todo mundo ia trabalhar exclusivamente para o caso Mariana”, afirma Lobato, repórter do veículo. Pontuou também, que a mídia teve e tem papel fundamental na hora de cobrar o poder público.

Para o jornalista, a experiência foi enriquecedora tanto profissionalmente quanto para sua vida pessoal. “Foi bom para darmos valor à vida”, contou. Além disso, ele diz que criou vínculos de amizade com moradores durante sua estadia e que isso não afetou seu desempenho. Paulo afirma que cobertura trouxe a ele uma oportunidade de ouvir boas histórias. “As histórias estão na nossa cara para a gente contar. É covardia guarda-las só para nós”.

Paulo Henrique citou, também, durante sua apresentação, a matéria “Grande Sertão”, ganhadora do Prêmio Sebrae, em 2013, além de quatro outros. Na reportagem, ele percorre 4 mil quilômetros por onde passou escritor Guimarães Rosa na obra “Grande Sertão Veredas” para relatar as mudanças econômicas das regiões. O trabalho foi feito em parceria com Luiz Ribeiro e Alexandre Gusanzhe, ambos do Estado de Minas.

Tadeu Jungle, cineasta, produziu um documentário com filmagens em 360° sobre o acidente, intitulado “Rio de Lama”. Jungle relata que os moradores de Bento Rogrigues descrevem o município com carinho e o narram como um “paraíso”. Na opinião dele, deveria ser feito um memorial para que o acontecido não caia no esquecimento e não se repita.

O material foi produzido em realidade virtual, e de acordo com Tadeu, esse novo tipo de abordagem vai revolucionar a comunicação. “Eu acho que o jornalismo tem uma tendência de se tornar audiovisual no mundo, uma vez que a juventude que vem não tem mais tanto tempo. O acesso às plataformas de vídeo cresce sem parar”.
Um trecho do documentário que tem em torno 10 minutos foi passado ao público, e o material na íntegra pode ser encontrado no YouTube.

Os dois palestrantes fizeram questão de reiterar a necessidade de instalar uma sirene em Bento Rodrigues. “Se houvesse uma sirene na região, provavelmente não teria morrido ninguém no distrito”, afirmou Lobato.

Para mais informações sobre outras palestras da Semana Estado de Jornalismo, acesse: https://www.facebook.com/CursosEstadoDeJornalismo/


Data original da publicação: 01/11/2016

Texto original: Gabriela Lira Bertolo

COMPARTILHAR