Casa de David é caso de sucesso apresentado no Festival ABCR

14709Durante o Festival ABCR, além de especialistas tratarem diversos assuntos trazendo, inclusive, conhecimentos internacionais, também houve apresentação de cases diversos, de modo a facilitar a compreensão do público e mostrar como as boas práticas podem dar resultados. Um desses exemplos foi a palestra ministrada por Cleize Hernandez Belotto, da Casa de David, com tema Como ampliar as formas de captação de recursos em sua instituição, realizada às 15h do dia 5 de maio.

A organização, que possui unidades em São Paulo e em Atibaia (desde 2014), atende pessoas com deficiência intelectual (nos níveis leve, moderado ou severo) e física, além de autismo. A maior parte das pessoas assistidas é carente e não conta com respaldo familiar. Com uma história que se iniciou em 1962, a Casa de David precisou passar por uma reformulação mais recente para estruturar cada vez melhor seu trabalho.

Cleize explicou que antes a administração era dividida basicamente nos setores de diretoria e financeiro. Dentro do segundo estavam as áreas de doação e telemarketing. A maior parte do financiamento vinha do governo e eles sentiram necessidade de ampliar as fontes de renda.

Para isso, definiram uma estratégia que consistia em criar uma identidade visual forte, buscar apoio da mídia, construir um mailing eficiente, iniciar arrecadação por meio de notas fiscais, captar do governo de maneira mais efetiva e fazer campanhas sazonais, como início do inverno e Natal. Toda a parte de comunicação teve que se fortalecer e materiais institucionais foram criados e reformulados, como folders, jornais e o site.

Além disso, passaram a abordar políticos diretamente para captar recursos por meio de emendas parlamentares, em troca de visibilidade. “Os valores que podemos receber vão de R$ 20 mil a R$ 150 mil por parlamentar”, disse Cleize, ressaltando que isso requer inúmeras viagens a Brasília, visitas a gabinetes e negociações. Deu ainda detalhes sobre a diferença entre verba de custo e verba de investimento, e mostrando que é possível consegui-las tanto no governo federal quanto estadual, apesar de a prática necessitar de pesquisa e profissionais especializados, pois as informações costumam ser difíceis de acessar ou compreender. O dinheiro que já conseguiram serviu para reequipar a casa, especialmente na parte médica.

As parcerias institucionais e a participação em feiras e eventos foram outra iniciativa de sucesso. Contando com a ajuda de voluntários, a Casa de David participou da Tatoo Week, da feira Brasil Game Show (BGS) e do show comemorativo de 30 anos do rock da Radio Rock (89 FM). A arrecadação de alimentos nessas ocasiões foi, respectivamente, de 9, 42 e 12 toneladas.

No entanto, para conseguir esses feitos, muito da reestruturação interna fez diferença. O setor de doação, que estava sob comando da área financeira, agora conta com 11 funcionários, dois caminhões e realiza captação ativa e passiva. Já o departamento de telemarketing ainda conta com um funcionamento antigo, segundo Cleize. Uma nova estrutura foi implementada em Atibaia, mas ainda não se pode aferir os efeitos.

Sobre a nota fiscal paulista, a representante comentou: “Os funcionários cadastravam nas horas vagas, não tínhamos urnas”. E complementou dizendo que muitos papéis eram perdidos com esse método. Por isso, adotaram uma ação com aplicativos de celular: a pessoa que deseja doar sua nota, pode fazê-lo somente tirando uma foto e ela estará automaticamente cadastrada.

Também passaram a utilizar universitários voluntários para fazerem as digitações, além de oferecer cadastramento online e contratarem um motoboy para realizar retiradas em pontos estratégicos, algo que antes isso era feito com um carro. Essas e outras estratégias resultaram em 607 mil cupons cadastrados em 2015, revertidos em 200 mil reais.

A maior dificuldade que a instituição encontrou nesse processo, segundo Cleize, foi conseguir doações de empresas. “Tentamos muito e não conseguimos”, relatando o estado de desânimo em que começaram a entrar. Foi quando encontraram um projeto de captação de verbas e, pesquisando, conseguiram descobrir 23 editais compatíveis com a causa. “Tem recurso e a verdade é que a gente não sabe usar”, concluiu a especialista.

8º Festival ABCR

Entre os dias 4 e 6 de maio, ocorreu um evento voltado para captação de recursos a organizações da sociedade civil no no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo. Participaram deste encontro profissionais da área de captação e mobilização de recursos de organizações da sociedade civil; gestores de associações e fundações; acadêmicos, estudantes, pesquisadores e demais interessados em compreender a situação atual e as tendências desse segmento.


Serviço:

Acesse o site do evento: http://festivalabcr.org.br/

Confira cobertura completa do evento:

Expertise da organização Atados é usada como case em palestra

Dicas de abordagem online para conseguir doadores, com Nick Allen

Representante da Aldeias Globais mostra como tornar projetos sociais atrativos para apoiadores

Casa de David é caso de sucesso apresentado no Festival ABCR

Mundano inspira os captadores de recursos e ressalta a criatividade em suas mobilizações

Captamos: rede social para troca de conhecimento e experiências na mobilização de recursos

Criptomoedas: uma opção para uma vida financeira mais saudável e para doação de recursos a organizações da sociedade civil

Especialistas da Change.org ensinam estratégias de mobilização on-line

Representantes de organizações explicam casos de inovação na estrutura das organizações para diversificar processo de captação de recursos

O ambiente digital e a captação de recursos são tema de plenária no Festival ABCR

Desenvolver a cultura de doação tem relação com progressão geométrica, segundo Marcelo Estraviz, escritor e ativista no segmento de mobilização de recursos

Realidade virtual pode ser uma saída para divulgar a causa de organizações sociais e contribuir no processo de captação de recursos

Diretora-presidente do IDIS explica a pesquisa Doação Brasil

Especialistas explicam como estimular a doação de imposto de renda a projetos de organizações da sociedade civil

Magic Paula abriu 8ª edição do Festival ABCR


Texto: Natália Freitas
Foto: Priscila Furuli Fotografia
Data original da publicação: 17/05/2016