Carroça21 conta a história de catadora de materiais recicláveis

Produção recebeu prêmio como melhor documentário no Festival de Cinema de Jaraguá do Sul e foca na valorização da profissão do catador de material reciclável.

lancamento-carroca-21-maura-premio-Reduzida
A equipe responsável pelo documentário entregou o prêmio para Maura. (crédito da imagem: Marcel Nascimento)

Elismaura Pereira, mulher negra, mãe de sete filhos, atua como carroceira há 20 anos. conhecida como Maura, ela é personagem central do documentário Carroça21. Lançado ontem à noite (29/5) no auditório do Matilha Cultural, a produção conta a história dessa catadora que percorre todos os dias das sete da manhã até onze da noite bairros da zona sul e outras regiões da cidade de São Paulo atrás de caixas de papelão, objetos de plásticos e outros resíduos que podem ser destinados em cooperativas a ferro velho. Após a exibição da produção, os idealizadores do documentário Gustavo Pera, Joao Pedro David e Thais Lopes Monteiro conversaram com o público.

Recentemente a produção ganhou o prêmio como melhor documentário no Festival de Cinema de Jaraguá do Sul, que ocorreu entre os dias 16 e 18 de maio, e é um dos selecionados na 3ª Mostra de Cinema de FAMA na categoria de filmes ambientais, que ocorrerá entre os dias 6 e 9 de junho em Fama (MG).

Com 12 minutos de duração, o filme conta a trajetória de Maura, mostrando o que ela faz durante o dia, por onde passa, a companhia dos filhos e a relação deles com seu trabalho, os desafios diários com os motoristas de carro e ônibus no trânsito e outras questões desafiantes. Carroça21 é resultado da oficina Estética da Não-Ficção, que ocorreu durante três meses no Oficinas Culturais Oswald de Andrade em 2017, ministrada por Anderson Souza.

lancamento-carroca-21-equipe-publico-Reduzido
Com auditório lotado do Matilha Cultural, documentário Carroça21 mostra o cotidiano da catadora Maura. (crédito da imagem: Marcel Nascimento)

O grupo contou com apoio da Pimp My Carroça, um movimento que defende a valorização do catador e de tirá-lo da invisibilidade social, que indicou catadores para o grupo. Esse movimento lançou há um ano e meio o aplicativo Cataki, em que reduz o trajeto entre resíduos e os catadores: https://cataki.org/pt/

“Torci muito para que eles tirassem 10 e eles voltaram com prêmio. A menina de rua agora está no cinema. Essa mesma menina que comprou uma carroça e luta para criar os filhos”, comenta Maura feliz e emocionada com a surpresa do prêmio. Ela também compartilhou com o público situações de bullying que seus filhos passam inúmeras vezes na escola, por ela trabalhar como catadora.

O nome do documentário, segundo o diretor e roteirista, Gustavo Pena, é uma brincadeira para o que enxerga como carruagem dos dias de hoje: “essa seria a do século 21 nas cidades”.

As pessoas e as organizações interessadas em apresentar o documentário podem entrar em contato com a equipe responsável nas redes sociais: https://www.facebook.com/carroca21/ e no Instagram, com perfil @carroca21