15 dicas para economizar com o material escolar e proteger o meio ambiente

Backpack school isolated educational rubber green white

Janeiro é mês em que muitos pais e mães compram o material escolar solicitado pelas escolas de seus filhos. Encontrar os melhores preços não é tarefa das mais fáceis, pois além de subirem ano a ano, ainda podem variar muito de uma loja para outra. Para economizar, a pesquisa de preços é uma grande aliada. Mas há diversas outras dicas que podem ajudar os pais a gastar menos, além de reduzir o impacto ambiental negativo sobre os recursos naturais utilizados na fabricação de novos materiais a cada ano. Pensando em ajudar os pais nessa missão, o Instituto Akatu, ONG que atua há 15 anos pelo consumo consciente, preparou 15 dicas.

Pesquisar os melhores preços, fazer compras de grande volume em conjunto com os pais de outros alunos ou reutilizar materiais do ano anterior já são práticas comuns por quem quer economizar. “Todos os anos, milhares de pais e alunos compram produtos escolares novos, enquanto, ao mesmo tempo, outros descartam materiais em boas condições ou guardam em casa itens que poderiam ser utilizados por outras pessoas. Promover a troca ou a doação é uma solução que pode beneficiar muita gente. Com isso, mais pessoas podem ter acesso aos materiais sem a necessidade de retirar mais matérias-primas do meio ambiente”, explica Helio Mattar, diretor presidente do Instituto Akatu.

Para o Instituto Akatu, trocar, doar e compartilhar são formas de promover o consumo consciente e a sustentabilidade, além de contribuir para que pais, alunos e professores reflitam sobre o consumo, cidadania, desperdício, utilização de recursos naturais, lixo e meio ambiente.

Confira as dicas:

1 – Reaproveite materiais

Antes de ir às compras, analise o que dá para reaproveitar do que sobrou do ano anterior. Depois de um olhar atento, você conseguirá diminuir a lista de compra. É verdade que muitas crianças preferem levar material novo no início das aulas, mas esta é uma oportunidade para explicar a elas a importância de não desperdiçar, de consumir de forma consciente e de evitar o impacto no meio ambiente e na sociedade.

• As folhas de cadernos do ano passado que ficaram em branco podem virar um outro caderno novinho, todo customizado: é só retirar as folhas não usadas e fazer um novo caderno com elas, reutilizando a espiral e as mesmas capas do caderno antigo. Se você simplesmente cortar as folhas, pode fazer furos com ajuda de um furador e colocar em uma pasta. Ou, se preferir, pode costurar as folhas com agulha, fazendo um novo bloco;

• Os lápis foram gastos e ficaram curtos? Sem problema! Os lápis grafite e de cor podem usar um “alongador”, também chamado de “extensor” ou “prolongador”, que ajuda a segurar os lápis para usá-los até o fim;

• Canetinhas ou marcadores secos podem receber algumas gotas de álcool de cozinha ou água e, muitas vezes, voltar a funcionar;

• Converse com outros pais para verificar se não há algum material usado por outro aluno que possa ser emprestado, doado ou revendido;

• Você também pode procurar livros usados em um sebo.

*Confira aqui o artigo na íntegra no site do Instituto Akatu, parceiro do Portal Setor3.


Texto original: Instituto Akatu
Data original da publicação: 26/01/2017